Xô Usina Nuclear

0

   O que era apenas uma mera especulação pode virar realidade nas próximas semanas. Foi aprovada na última segunda-feira, 25, pelo Conselho Nacional de Política Energética – CNPE, órgão da Presidência da República, a proposta de construir oito centrais nucleares, sendo 2 no Nordeste. Ontem o deputado federal Albano Franco elogiou a iniciativa lembrando que uma delas será provavelmente no Vale do São Francisco. “Isto  nos remete, Sr. Presidente, ao Estado de Sergipe, grande produtor de energia e onde se localiza a usina hidrelétrica de Xingó, no Rio São Francisco. Certamente, os estudos técnicos, econômicos e ambientais irão indicar essa região sergipana como a que apresenta as melhores condições para a instalação dessa primeira central nuclear”, disse Albano. Pelo discurso, o deputado e ex-governador por oito anos só está pensando nos recursos que podem vir para Sergipe oriundos do investimento como também de uma legislação nova para beneficiar os estados que tiverem usina, a exemplo dos royalties.

  Esquece Albano que o tempo de vida de uma usina nuclear tem em média30 anos e os prejuízos para a região são por toda a vida, mesmo sem ocorrência de um acidente grave. Completa-se agora 21 anos do acidente da Usina de Chernobyl ( antiga URSS, hoje Ucrânia), mas até hoje o país sobre efeitos da radiação  e na economia. Segundo matéria recente da Universidade de Brasília – UNB, a explosão da usina de Chernobyl poluiu cinco milhões de hectares de terras, onde moravam três milhões de habitantes da Ucrânia. Na evacuação da região contaminada foram construídos 15 mil apartamentos e 23 mil prédios para abrigar 116 mil habitantes. Os trabalhadores da usina foram alojados em uma cidade construída especialmente para eles, Slavutych. Atualmente, 17,44 mil famílias recebem isenções por terem integrantes cuja morte está relacionada com a catástrofe.

  É preciso que a classe política e os segmentos organizados da sociedade sergipana comecem a se mobilizar contra a instalação desta usina nuclear em Sergipe.Não tem dinheiro e empregos gerados (fala-se em 10 mil) que paguem a tranqüilidade do povo sertanejo, que poderá viver com um risco diário de um acidente nuclear. Além do mais o rio São Francisco será mais uma vez sacrificado ,sem falar o turismo na região de Canindé, onde está localizado hoje uma das principais atrações, que é o cânion de Xingó. Mesmo se não ocorrer nenhum acidente, os reatores e instalações geram quantidades imensas de lixo nuclear que ficam sob vigilância por milhares de anos e sem uma segurança técnica de 100%.

 Outro dado interessante, pesquisa de opinião pública encomendada pelo Greenpeace aponta que mais de 82% dos brasileiros são contrários à construção de usinas nucleares no País, acreditando que o Brasil possa se desenvolver usando fontes de energia mais limpas, baratas e seguras. Ou seja, usinas nucleares são caras e perigosas.

 Xô Usina Nuclear ! Sergipe não precisa deste dinheiro. Com toda segurança do mundo que os favoráveis ao projeto começam a alardear, dinheiro nenhum  valeria a paz e a tranqüilidade dos sergipanos, principalmente dos sertanejos. Xô Usina Nuclear! Que a ganância de alguns não contamine toda a classe política de Sergipe, principalmente o governador Marcelo Déda que será o principal responsável para que o martelo seja batido.

 

 

Imagens dos que sobreviveram ao acidente em Chernobyl

Deu no blog http://cajueirosepapagaios.zip.net/, da jornalista Grace Melo: “Queridos leitores, após escrever um artigo sobre a vinda de uma usina nuclear para Sergipe, buscava algumas fotos para ilustrar o texto. Eis que me deparo com esse site que mostra a realidade dos que sobreviveram ao acidente em Chernobyl. Peço que invista os próximos cinco minutos da sua vida vendo as fotos de Paul Fusco. Ele faz uma narrativa em inglês, mas quem não fala a língua não tem problema. As imagens falam por si; basta entrar no link abaixo. Encontre o menu, localizado ao canto inferior direito da página, clique em “Chernobyl Legacy” e depois em Play. Vale a pena!”

http://todayspictures.slate.com/inmotion/essay_chernobyl/

 

Apagão rodoviário

De um leitor: “Li algumas vezes nesta coluna, comentários construtivos e esclarecedores sobre situação das rodovias SE 226 (BR-Porto SE) e SE100 (Aju-Porto SE), acostamentos deficientes, buracos cada vez maiores etc… Em nota nesta coluna nos últimos dias, foi citado o Plano do Governo através da SEINFRA para as rodovias Estaduais…Não lemos nada a cerca da manutenção das rodovias citadas…será que não incluíram? Companheiro Deda, Dr. Osvaldo, esperamos que o Planejamento contido em tal plano contemple a necessidade de viabilizar o fluxo de escoamento dos produtos para o Terminal Portuário de Sergipe e vice-versa, sem provocar prejuízos aos que transportam e/ou transitam nessas rodovias. Os caminhoneiros já estão debochando dessa terra criando um slogan  para o Governo de Sergipe, “Governo de todos … buracos”. Lamentável! Pensar Sergipe devia ser bem mais que isso…”

 

CPI da Deso: Dia de São Nunca

Não adianta. Hoje, 28, os deputados devem protelar mais ainda a possível instalação de uma CPI da Deso. Não tem jeito ninguém deseja a CPI. Inclusive o governador Marcelo Déda, no mínimo, deveria não ter emitido opinião. Não basta apoio da Controladoria Geral da União, não basta até mesmo que a Deso consiga realizar a licitação para a auditoria. Quem tem medo da CPI?

 

Rede de esgoto também fede

Outros contratos realizados pela Deso, para a construção da rede de abastecimento de esgoto também têm sérios problemas. Ninguém tem coragem de tocar no assunto, mas os mesmos não resistiriam a uma auditoria. Fede, muito, com a participação de uma grande empresa multinacional e uma sergipana, de pequeno porte. O fedor provoca vômitos…

 

Brincadeira de criança

E o senador Almeida Lima (PMDB), assume a titularidade na Comissão de Ética do Senado depois de várias renúncias. É o mesmo que tirar doce de criança. A imagem do Senado está desgastada e a pizza que está sendo montada para Renan Calheiros terá como um dos principais garçons o senador sergipano.

 

Leitores terão todos os e-mails respondidos

Este jornalista pede desculpas aos leitores que enviaram e-mails nos últimos dias. O acesso à coluna vem aumentando muito e, vários leitores, têm interagido com este colunista, principalmente para publicação de notas. Todas serão respondidas e publicadas. Peço apenas a compreensão de todos pela exigüidade do tempo para responder e também pelo espaço da coluna que é limitado.

 

Jackson Barreto: acordos, negociatas… no TC I

Trecho do discurso de Jackson Barreto, ontem, 27, na Câmara:Sr. Presidente, Srs. Deputados, foi afastado o Conselheiro Flávio Conceição, mas vamos pedir também na Justiça o afastamento de todos aqueles que estão envolvidos com as gravações da Polícia Federal. Vamos pedir à Justiça à mesma medida. Este é o momento de passarmos a limpo o Tribunal de Contas de Sergipe e redefinirmos seu papel. Tribunal de Contas não é um poder, mas sim um órgão auxiliar do Poder Legislativo.Uma vergonha que denuncio também é o empreguismo.Vejam os Senhores: o Estado de Minas Gerais, com mais de 800 municípios, tem no seu Tribunal de Contas cerca de mil e duzentos servidores, enquanto Sergipe, com apenas 75 municípios, tem cerca de 900 servidores.Registro e reconheço o papel dos servidores concursados.Vivemos em Sergipe uma situação sui generis com a atuação da maioria dos Conselheiros do Tribunal de Contas, que trabalham e invadem áreas, o que não tem nada a ver com suas funções”.

 

Jackson Barreto: acordos, negociatas… no TC II

Outro trecho do discurso de JB: “Seus gabinetes são verdadeiros comitês eleitorais: acordos, negociatas, ameaças, chantagens, pressões. Tudo é feito em nome dos seus projetos. Definem de forma solidária julgamentos e condenam de acordo com seus interesses políticos e econômicos. É uma vergonha! Ao bel-prazer, os Conselheiros transformam Prefeitos honestos em desonestos, e Prefeitos desonestos em honestos. Tramam nos bastidores contra cidadãos para torná-los inelegíveis e, assim, facilitam a vida dos seus aliados e dos seus negócios. É preciso urgente o projeto que vamos apresentar acabando com a vitaliciedade destes Conselheiros. Vitaliciedade para juiz e promotor, porque estes fazem concurso público; os Conselheiros nunca se submeteram a concurso público, alguns nem sequer têm formação superior. Aliás, tenho certeza de que, se fizerem concurso público para o Tribunal de Contas do meu Estado, 99% serão reprovados”.

 

Manifestantes fazem enterro simbólico da transposição

Da Agência Folha: Os manifestantes contrários à transposição das águas do rio São Francisco que há dois dias invadiram o canteiro de obras do Exército em Cabrobó (535 km de Recife) enterraram ontem um marco de concreto usado para medições topográficas. Eles fincaram uma cruz de madeira para simbolizar o “enterro” do projeto de transposição. Os índios trucás dançaram e cantaram.Duas camionetes do Exército pararam a cerca de cem metros da entrada da fazenda invadida, a Mãe Rosa. Manifestantes portando facões e foices correram em direção à porteira. Os veículos, porém, retornaram.O protesto, que reúne lavradores, quilombolas, índios e sindicalistas de Minas Gerais, Bahia, Pernambuco, Alagoas, Sergipe e Ceará, está orçado em R$ 150 mil. O bispo de Barra (BA), dom Luiz Cappio, visita hoje o local. Em 2005, ele fez greve de fome contra a transposição.A AGU (Advocacia Geral da União) informou que o pedido de reintegração de posse está sendo elaborado”.

 

Tereza Cruvinel destaca festejos juninos I

No blog que tem no portal Globo Online, a jornalista Tereza Cruvinel – que tem uma coluna política de destaque no jornal O Globo e teve em Sergipe na semana passada – descreveu para os leitores alguns pontos da viagem ao Estado. Com o título “Os barcos de fogo” Tereza escreveu: Pensando bem, este aí é um bom título para um romance. Mas por ora, estamos escrevendo apenas um relato de viagem, a ida a Estância, com o governador Marcelo Déda, ver os folguedos juninos da cidade. O prefeito Ivan Leite nos leva a ver a quadrilha e me conta a origem dos barcos de fogo:  o primeiro foi feito por um certo Chico Surdo, no início do século. A moda pegou e de lá para cá virou tradição, a criatividade só aumento.  Vamos para o estádio, ou coisa que o valha, um grande espaço público onde milhares novamente dançam.  Reencontro Alceu Valença, que nesta noite canta em Estância, ele e outros grupos.  Numa outra parte desta grande área acontecem as estripulias pirotécnicas deste povo que  ama o fogo e seu brilho. Aqui a roda política está bem eclética: Déda, do PT, o prefeito Ivan Leite, que é do PSDB, e o deputado e ex-governador Albano Franco, também do PSDB. Mas são civilizados, estão ali para confraternizar com o povo”. Depois Tereza descreve todo o espaço e como o barco de fogo é acionado, além das espadas e buscapés.

 

Tereza Cruvinel destaca festejos juninos II

Continuando, Tereza Cruvinel escreve Uma jóia barroca no sertão: “Antes de Estância, fôramos a São Cristóvão, antiga capital, cidade colonial cheia de charme, com igrejas e prédios setecentistas razoavelmente conservadas, a sombra da história cortando as ruas. O barroco lembra o de Minas, mas tem algo que o diferencia das edificações do ciclo do ouro. Algo nas torres, na cantonaria. Mas estão lá, sob o telhado, a eira, a beira e a tribeira. Discutimos muito isso, eu e Raimundo Costa, sem chegar a uma conclusão. Decidimos estabelecer – até que um historiador da arte nos corrija (alô, Virgílio Costa, preciso de seus préstimos!) – que a sutil diferença deve-se ao fato de serem aqueles prédios mais do final dos 1600 do que dos anos setecentistas.D. Pedro II esteve lá, no final do reinado. Desembarcou no rio Sergipe, num ancoradouro que hoje fica no centro de Aracaju. A Ponte do Imperador é como chamam, mas na verdade é um pier com um portal em arco. Ali a prefeitura instalou, há dois anos, uma grande maquete da cidade ainda jovem, no início do século passado. Obra pequena, baratinha, um mimo. Mas mexe com a memória e com a auto-estima, diz Déda. As pessoas estão mesmo sempre por lá, buscando a casa que era da avó, coisas assim”.

 

Tereza Cruvinel destaca festejos juninos III

Em outro trecho com o título “Energia do crescimento”, Tereza ressalta: “Há um boom do turismo em Sergipe. Grupos estrangeiros estão fazendo grandes investimentos em hotelaria na orla.  Giacomo di Lauro, do grupo Wyndham Resorts, gerencia a implantação de um grande empreendimento, o Viva Resort, na Ponta do Saco, que dizem ser lindíssima. Não fui, não deu tempo.  Diz-me  ele que é imenso o potencial de atrair para ali o turismo de famílias europeu. Bem, muito melhor que o turismo sexual que assola outras capitais do Nordeste.Déda e seu secretário de Turismo, João Augusto Gama,  apostam muito nesta inserção do estado nos roteiros internacionais. No plano doméstico,   precisam vencer dois gargalos rodoviários. Com duas pontes, todo o litoral poderá ser percorrido de carro, a partir da Linha Verde, que vem da Bahia, chegando-se depois a Maceió.  Hoje, é preciso pegar a BR-101, que passa pelo meio do estado, para se chegar depois a Aracaju. O governo briga para incluir estes recursos no PAC.  Li certa vez um artigo de Delfim Netto onde ele dizia que Sergipe é o estado que mais cresce no Brasil. Segundo Déda, o Nordeste está crescendo mais que o Brasil, e Sergipe mais que o Nordeste. Soa estranho, mas é preciso ir lá para sentir a energia do crescimento. É tangível”. Ao final ela descreve ainda a sensação que teve em participar do Forró Caju.

 

CD valoriza cultura sergipana

Hoje, 28, às 17 horas, na Sociedade Semear, o prefeito de Aracaju, Edvaldo Nogueira, fará o lançamento do CD ´Vozes e Toques Sergipanos – forró, toada e aboio´. A iniciativa da Prefeitura de Aracaju, por meio da Fundação Municipal de Cultura, Turismo e Esportes (Funcaju), será apresentada ao público no espaço da galeria Jenner Augusto, onde também será servido um coquetel. O álbum reúne trabalhos de 24 músicos, entre sanfoneiros e cantores, que retratam nas canções o modo de viver de seu grupo social. Alguns interpretam artistas já consagrados e outros apresentam composições próprias. Trata-se de um registro produzido no local onde moram, alguns no quintal de casa, para que possa ser apreciado o valor artístico do cantor, intérprete ou sanfoneiro em sua autenticidade sem os efeitos eletrônicos de estúdio.

 

 

 Frase do Dia

“É claro que meus filhos terão computadores, mas antes terão livros”. Bill Gates, Empresário americano, dono da Microsoft.

 

O texto acima se trata da opinião do autor e não representa o pensamento do Portal Infonet.
Comentários