Cinema, aspirinas e urubus

0

Brasil, 2005. Direção de Marcelo Gomes. Roteiro de Gomes, Paulo Caldas e Karim Ainouz, inspirado em relato de viagem de Ranulpho Gomes. Produção de Sara Silveira, Maria Ionescu e João Vieira Jr. Música de Tomás Alves de Souza. Direção de Fotografia: Mauro Pinheiro. Desenho de Produção: Dedete Parente Costa. Direção de Arte: Marcos Pedro. Edição de Karen Harley. Cia. Produtora: Dezenove Som e Imagens, Rec Produtores Associados. Distr. no Brasil: Imovision. 90min, 16 anos. Elenco: Peter Kelnatha, João Miguel, Hermila Guedes, Oswaldo Mil, Irandhir, Fabiana Pirro, Verônica Cavalcanti, Daniela Câmera, Paula Francinete, Sandro Guerra, Madalena Accioly, Arilson Lopes, José Leite, Zezita Matos, Francisco Figueiredo.

 

Gênero: Drama

 

Sinopse – Em 1942, no meio do sertão nordestino, dois homens vindos de mundos diferentes se encontram. Um deles é Johan, alemão fugido da 2ª Guerra Mundial, que dirige um caminhão e vende aspirinas pelo interior do País. O outro é Ranulpho, um homem simples que sempre viveu no sertão e que, após ganhar uma carona de Johan, passa a trabalhar para ele como ajudante. Viajando de povoado em povoado, a dupla exibe filmes promocionais sobre o remédio milagroso para pessoas que jamais tiveram a oportunidade de ir ao cinema

 

Apreciação – Exibido no Festival de Cannes, onde conquistou o prêmio Sistema Educacional Francês, esta obra de estréia de Marcelo Gomes conquistou vários prêmios nos festivais do Rio e de São Paulo. A todos fez por merecer. De fato, “Cinema, Aspirinas e Urubus” é dos mais inteligente dos filmes brasileiros dos últimos anos. Uma produção sem grandes recursos, o filme se vale de um excelente roteiro e de atores notáveis para se tornar um instante mágico de cinema. Não deixe de ver.

 

Fique de Olho – Nos dois atores centrais: Peter Ketnath e João Miguel estão excelentes e só eles já vale o preço do ingresso.

Comentários