Guitarrista Igor Gnomo se apresenta dia 28 em Aracaju

(Foto: Divulgação)

No dia 28 deste mês, Aracaju irá receber o guitarrista e compositor Igor Gnomo.  Seguindo na vertente Jazz Rock Nordeste, o artista traz ao Alquimia Cultural, a sonoridade que revela um cruzamento entre elementos rítmicos da música nordestina, improvisos e a força da guitarra brasileira, que o fez reconhecido como um dos  representantes da guitarra e da música instrumental produzida atualmente no interior da Bahia. Igor Gnomo retorna a Aracaju acompanhado pelo baixista André Jumper e o baterista Thiago Reuel, além da participação do guitarrista Sérgio Chorão.

O músico já passou por diversos palcos dentro e fora do Brasil e vem promovendo a circulação de seu terceiro álbum, Formiga Preta, lançado em 2021, durante a pandemia, que conta com participações ilustres da música instrumental nacional, como o saxofonista Derico, o baixista Michael Pipoquinha e o violinista Marcelo Fonseca, apresentando a simbiose sonora do Jazz com Rock nordestino, principais características do trabalho do artista. Além de instrumentista, Gnomo se destaca no cenário por seu apurado senso de articulação, sendo idealizador e realizador do Festival de Jazz de Paulo Afonso e agora celebra a estreia do show Formiga Preta, que reúne composições presentes no álbum homônimo e releituras que passeiam por Hermeto Pascoal, Dominguinhos e Chico Science.

De acordo com o artista, retornar a Aracaju é uma forma de celebrar os anos vividos na terra. “Morei em Aracaju durante 5 anos, conheci músicos, artistas e pessoas incríveis, retornar à capital sergipana levando esse novo show será uma conexão única, quero reencontrar a energia Serigy”, destacou Gnomo.

Sobre Igor Gnomo

Natural da cidade de Paulo Afonso (BA), o guitarrista Igor Gnomo apresenta um trabalho autoral instrumental com influências do jazz, rock em simbiose com elementos da música nordestina (baião, samba de chula, maracatu) fortalecendo a representatividade da música instrumental produzida no interior do estado.

Em 2011, com o então Igor Gnomo Group, lançou o primeiro trabalho autoral ‘NorDestino’, que foi destaque em revistas especializadas como GuitarPlayer e GuitarLoad. Em 2014 surge o segundo trabalho ‘Alquimia, Trilhos, Poesia’ que gerou a circulação do grupo em importantes festivais e dividindo apresentações com nomes como Armandinho Macedo, Stanley Jordan, Gabriel o Pensador e Luciano Magno. Em 2021, lançou o álbum ‘Formiga Preta’, o terceiro da carreira desse baiano de Paulo Afonso, reforçando a identidade jazz-rock-nordeste do músico. O trabalho foi um dos selecionados pelo “Prêmio das Artes Jorge Portugal 2020 – Premiação Aldir Blanc Bahia”, da Fundação Cultural do Estado da Bahia (Funceb).

O artista já circulou por diversos festivais, entre eles, Rio Montreux Jazz Festival (RJ), Shell Open Air (RJ), Fimus Jazz (PB), Teatro Castro Alves (BA), Garanhuns Jazz Festival (PE), Feira Noise (BA), Macuca Jazz e Improviso (PE), Mangaba instrumental (SE), Bond Jazz Festival (BA), Teatro Atheneu (SE), Teatro Dulcina (DF), Gravatá Jazz Festival (PE), Careta Amp (PE), Circuito Sesc de música instrumental (SE), Aldeia Sesc de Artes (BA).

Igor Gnomo se destaca também como empreendedor cultural, gerindo a escola de música Cemig Music e curadoria / direção Paulo Afonso Jazz Festival, além de aulas, gravações e produções virtuais.

Fonte: Assessoria de Imprensa

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais