II Xirê da Consciência Negra terá debates, oficinas e apresentações

0
Com uma ampla programação, as atividades serão distribuídas entre a sede do Alaroke, que fica em São Cristóvão; e outros espaços, em Aracaju (Foto: Assessoria de Imprensa)

O mês da Consciência Negra ganhará mais um espaço para debates e reflexões em Aracaju. De 28 de novembro até 1° de dezembro, a Associação Assistencial, Educacional e Cultural Alaroke promove a segunda edição do Xirê da Consciência Negra, com oficinas, apresentações culturais e debates acerca da cultura negra, dos povos de terreiros e do racismo. Com uma ampla programação, as atividades serão distribuídas entre a sede do Alaroke, que fica em São Cristóvão; e outros espaços, em Aracaju.

A abertura acontecerá no Centro Cultural Aracaju, na praça General Valadão, Centro da cidade, na próxima quarta-feira, 28, a partir das 18h, com o lançamento do livro “Direitos dos povos de terreiro”. A abertura ainda terá roda de capoeira e apresentação do coletivo Ara Ijó. Já na quinta-feira, 29, a sede do Alaroke, na rodovia João Bebe Água, receberá a visita de uma escola, com mais uma edição do projeto “A escola vai ao terreiro”, a partir das 14h.

A programação segue na sexta-feira, 30, com oficina de turbantes e estamparia, às 14h, mesa-redonda com o tema “mulher negra, estética e representatividade”, das 17h as 19h, e o dia será finalizado com uma batalha de rimas. A programação acontece na sede do grupo Abaô Capoeira de Angola, localizada na rua Reis Lima, n° 193 B, bairro Industrial.

A segunda edição do Xirê da Consciência Negra encerra no sábado, dia 1° de dezembro, no Centro de Criatividades de Aracaju, que fica na rua Dom Bosco, n° 119, bairro Getúlio Vargas, com um dia inteiro de atividades. Além da Feira Preta, que acontecerá durante todo o dia, duas oficinas serão ministradas: de dança afro e de percussão, das 14h às 16h. A terceira mesa-redonda do encontro falará sobre as pluralidades do racismo contra os negros e contra os povos de terreiro no Brasil. E para encerrar o evento, a apresentação do grupo Afoxé de Preto, com participação de Bel Nunes.

Xirê da Consciência Negra

Em sua segunda edição, o Xirê da Consciência Negra se consolida como um importante espaço de discussão sobre a cultura negra e o racismo no âmbito local e nacional. A atividade ainda contribui para desmistificar junto à sociedade certos preconceitos em relação às religiões de matriz.

 Fonte: Assessoria de Imprensa
Comentários