Lula Ribeiro convida Eduardo Dussek no TTB

0
O show acontece no dia 25 de maio (Foto: divulgação)

O cantor e compositor Lula Ribeiro se apresenta no Teatro Tobias Barreto, no próximo dia 25 de maio, às 21h, com a presença do cantor e compositor Eduardo Dussek. O sergipano Lula Ribeiro dá continuidade a temporada 2016 do projeto "Lula Ribeiro convida", apresentado nas cidades do Rio de Janeiro e Belo Horizonte e há dois anos em Aracaju, onde sempre recebe um grande nome da MPB. No show, o cantor Lula Ribeiro fará um passeio por sua obra, com destaque para o repertório do CD e DVD “Palavras Que Não Dizem Tudo”, além de canções inéditas, que farão parte do seu novo CD, em pré-produção.

O show é uma celebração musical, onde Lula se mostra um veterano na arte de interpretar e compor canções, que traduzem suas impressões sobre a vida, por meio de versos, que falam do sentimento humano. Uma das surpresas do show é a participação especial de Eduardo Dussek, que cantará algumas canções do seu repertório, além de dividir outras músicas com o Lula.

Numa apresentação intimista, Lula Ribeiro também prestará homenagens a compositores da música brasileira, alguns deles, já gravados pelo cantor. Informações sobre ingressos podem ser obtidas através do telefone (79) 3179 1490.

Lula Ribeiro

Cantor e compositor sergipano, começou sua vida musical, na sua cidade natal Aracaju (SE), participando de shows coletivos com outros artistas sergipanos. Lançou os cd´s "Cajueiro dos Papagaios" em 1986, "Janeiros" 1993, O Sono de Dolores em 1996, "Muito Prazer" em 1999, "Algum Alguém" em 2002, "Palavras que não dizem tudo", lançado também em DVD, no ano 2008. Esse trabalho gravado ao vivo, conta com as participações especiais de Moska e Luiz Melodia. Em 2009 apresentou o show “Palavras que não dizem tudo”, com o Projeto Música na Urna, contando com as participações especiais do grupo A Cor do Som, Kleiton & Kledir, Doces Cariocas; Edu Krieger, Vander Lee, Zé Renato, Sá & Guarabyra e Bossacucanova. No ano de 2010, lançou o projeto "Lula Ribeiro Convida", no Capim Limão e agora no Cine Brasil,  onde já recebeu Flavio Venturini, Celso Adolfo, Affonsinho, Vander Lee, Luis Carlos Sá, Túlio Mourão, Chico Amaral, Titane, Tiago Delegado, entre outros.No momento está em pré-produção de um novo CD, com produção de Arthur Maia, onde apresenta parcerias com compositores como: Zeca Baleiro, Vander Lee, Pierre Aderne, Gabriel Moura, entre outros.

Eduardo Dussek

Nasceu em Copacabana, RJ. Estudou música (piano), canto, teatro e arquitetura. Suas interpretações e composições unem bom humor e melodias elaboradas ao rock, samba, carnaval e à MPB. Aos oito anos compôs sua primeira canção popular: “A baianinha”, uma marchinha carnavalesca em homenagem a Carmen Miranda.

Descoberto por Nelson Motta e apadrinhado por Gilberto Gil, teve sua primeira canção gravada na voz de Marília Pêra: Alo Alô Brasil, na qual ela, por coincidência, homenageava a pequena notável. Teve forte formação teatral, iniciando-se no palco aos 16 anos, como pianista da comédia musical “Desgraças de uma Criança”, com Marco Nanini, Marieta Severo e Camila Amado.

Adotou uma mistura eclética que une o humor na música influenciado pelo teatro besteirol dos anos 80, onde atuou no palco como ator e se uniu com o escritor Luis Carlos Góes, parceiro em diversas canções gravadas por astros da MPB, antes de ascenderem ao sucesso. Destacam-se: Ney Matogrosso, Zizi Possi e o grupo vocal “As Frenéticas. Antes porém, Dussek, de formação clássica (estudou piano, teoria musical, canto lírico, harmonia e chegou a cursar dois anos do curso de regência, abandonado em 1977) teve forte influência da MPB tradicional da época de ouro, de Noel Rosa e Ari Barroso (foi agregado no antológico grupo Coisas Nossas), e sempre fora muito ligado às marchinhas carnavalescas de Lamartine  e Braguinha, que passou a misturar ao rock e o pop tropicalista do dos anos 70, junto com seu primeiro parceiro musical, diretor e orientador teórico, Luis Antonio de Cassio (com quem compôs “Cabelos negros” e Não explique, entre outras).

Apareceu pro grande público no festival da TV Globo em 1980, com a música “Nostradamus”, de sua autoria (um deboche sobre o Apocalipse), lançando em seguida seu primeiro disco ”Olhar brasileiro”, aclamado pela crítica por sua salada bem humorada de ritmos. Participou ativamente do movimento do Rock Brasil na primeira metade dos anos 80, em uma debochada parceria com Leo Jaime e o grupo roqueiro João Penca e seus Miquinhos Amestrados. Juntos lançaram o disco “Cantando no banheiro”, que estourou com a canção “Barrados no baile” (que eles substituíram na TV, ao vivo, pela musica “Valdirene, a paranormal”, originariamente classificada no festival MPB-Shell de 82, desclassificando-os, mas lançando o rock nacionalmente). Foi seu período de mais sucesso popular por todo país, lotando duas vezes o estádio do Maracanãzinho/RJ, com o mega hit radiofônico “Rock da Cachorra” (de Leo Jaime). Logo depois se influenciou pela música brasileira extremamente popular, no disco neo-cafona “Brega chique”, de 1987, com convidados antagônicos, como Arrigo Barnabé e Lincoln Olivetti, além de Julio Barroso, do grupo paulista Gang 90. Emplacou no gênero a canção “Domeé

stica”, uma caricatura musical de bom apelo popular. Fez grande sucesso no musical sobre o carnaval carioca “Sassaricando”, de Sergio Cabral e Rosa Maria Araújo, e lançou varias marchinhas carnavalescas no concurso do gênero, feito pelo Fantástico e pela Fundição Progresso.

Tem 25 músicas lançadas como tema de novelas televisivas e outras gravadas por vários artistas da MPB, entre eles Ney Matogrosso (“Folia no matagal” e “Seu Tipo”, com Góes, entre outras), Zizi Possi( “Eu velejava em você”, com Góes, e “Ave”, com Luis A. de Cássio“), Simone ( “Sou eu” e “Quem será”, com Isolda) Adriana Calcanhoto ( “Injuriado”), Cida Moreira (“Singapura”)  e Emilio Santiago ( “Se houver algo entre nós”, com Góes) Edson Cordeiro ( Pop, pop, popular). Paralelamente ao musical Sassaricando, atua há anos no show “Dussek de quinta”, mesclando seus antigos sucessos com musicas atuais  do cd “O Tao de Dussek”, e hilariantes textos de comédia rasgada.

Em  2011 gravou DVD produzido pelo canal Brasil e gravadora Deck Disc, e desde então circula pelo país com o show homônimo ao DVD ( também lançado em CD “ao vivo” DUSSEK É SHOW. Faz muitos shows institucionais personalizados e no verão percorre o país, à partir do Reveillon com seu show DUSSEK NA FOLIA, repertório carnavalesco de sambas, marchinhas e frevos com sua banda de 6 integrantes: A COPACABANDA.

Com informações da organização do evento

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais