O FANTASMA DA ÓPERA

0

(Andrew Lloyd Weber´s The Phantom of the Opera). EUA, 2004. Direção de Joel Schumacher. Roteiro de Andrew Lloyd Webber e Schumacher, baseado no livro de Gaston Leroux. Produção de Lloyd Webber. Direção de Fotografia: John Mathieson. Desenho de Produção: Anthony Pratt. Direção de arte: John Fenner. Montagem de Terry Rawlings. Cia. Produtora: Warner Bros, Really Useful Films, Scion Films Limited, Joel Schumacher Productions. Distr. no Brasil: Warner Bros. 143 min, livre. Elenco:  Gerard butler, Emmy Rossum, Patrick Wilson, Miranda Richardson, Minnie Driver, Ciaran Hinds, Simon Callow, Jennifer Ellison, Victor Mc Guire, Kevin McNally, Murray Melvin, Annabel Porter.

Gênero: Musical 

Sinopse – La Carlota é a diva de uma conceituada companhia teatral, que é responsável pelas óperas realizadas em um imponente teatro. Temperamentalmente, La Carlota se irrita pela ausência de um solo na nova produção da companhia e decide abandonar os ensaios. Com a estréia marcada para o mesmo, os novos donos do teatro não têm outra alternativa senão aceitar a sugestão de Madame Giry e escalar em seu lugar a jovem Christine Daae, que fazia parte do coral. Christine faz sucesso em sua estréia chamando a atenção do Visconde de Chagny, o novo patrocinador da companhia.

Apresentação – Enésima versão para o cinema da história contada em livro por Gaston Leroux. Tanto tempo passado e a melhor dessas versões continua sendo a de 1944, dirigida por um diretor de segunda, Arthur Lubin, que acertou a mão e fez um espetáculo maravilhoso. “O Fantasma da Ópera” já serviu até para Brian de Palma testar sua vocação de roqueiro, fazendo uma versão onde pontificam músicas de rock. Agora, o que chega às telas é a bem sucedida adaptação de Andrew Lloyd Webber para um musical da Broadway, que há anos está em cartaz por lá e agora está estreando em São Paulo. O diretor Schumacher fez uma adaptação bem próxima do que se vê no palco. Como há muita música, o filme deixa de ser uma obra de terror para ser um musical.

Fique de Olho – A crítica não se derramou em elogios ao filme de Schumacher. Mas, dizem que a coreografia é interessante, assim como é uma revelação de atriz a jovem Emily Rossum.

Comentários