Regional Recanto do Chorinho vai homenagear Egnaldo do Bandolim

0
Regional Recanto do Chorinho vai comandar a festa (Foto: Pritty Reis)

O grupo Regional Recanto do Chorinho vai promover um grande encontro de chorões em homenagem a Egnaldo do Bandolim, pai do bandolim sergipano, que completaria 70 anos no dia 10 de agosto.

O evento contará com a presença de Cláudio (cavaquinho), Alfredo (violão), Zé Vieira (violão 7 cordas), Dão (violão), Valtinho (acordeon), Jr. Do Cavaco, Odir Caius (flauta), os Grupos de Chorinho Renovação do Choro e o Grupo Brasileiríssimo, Banda Aruana, além das cantoras Anna Aparecida, Nancy Alves, Lene Hall e Núbia Faro, os cantores Samuca, Carlos Santana, Al’Sant, entre outros.

A festa será realizada no sábado, 10 de agosto, a partir das 12h, no Regional Recanto do Chorinho, que foi fundado há 33 anos por Egnaldo do Bandolim no Parque da Cidade. O evento é gratuito e as informações estão disponíveis por meio do telefone (79) 99933 1361.

Trajetória

Egnaldo Rodrigues dos Santos, mais conhecido como Egnaldo do Bandolim, nascido em 13/08/49, na cidade Malhador – SE. Foi um dos maiores precursores do Chorinho em Sergipe. Músico, compositor e bandolinista de choro ingressou na carreira musical ainda na adolescência tocando cavaquinho, na cidade onde nasceu. Teve como professor Sr. Manoel Eleotério, no entanto, escolheu o Bandolim como instrumento. Nos anos 70, fixou residência em Aracaju e sempre rodeado pelas rodas de choro e de grandes amigos chorões, foi intitulado o Pai do Bandolim Sergipano.

Alcançou popularidade nos anos 80 ao fundar o Restaurante Recanto do Chorinho, inicialmente na Rua Bahia, Siqueira Campos, o qual tinha uma mesa enorme com chorões e seresteiros, um verdadeiro encontro de amigos. Em 1998, o Restaurante mudou para o Parque da Cidade e Sr. Egnaldo continuou trazendo com o Bandolim alegria a todos em sua volta e aos frequentadores assíduos e amantes do choro. Foi daí que surgiu o Regional Recanto do Chorinho.

Em 2010, Egnaldo lançou o primeiro e único CD, um sonho de anos, com composições próprias como Cascata, Cadarço do Sapato, Daniella e Saudade do Bandolim, além de músicas de outros artistas. Em 21 de setembro de 2015, Egnaldo do Bandolim partiu para a casa do Pai Celestial deixando esposa, quatro filhos e seis netos.

Com informações da organização do evento

Comentários