10 de julho: “tudo acaba em pizza”

0

A expressão ‘acabar em pizza’ tem sido utilizada todos os dias no Brasil, mais precisamente relacionada a fatos que acontecem na capital federal, onde corrupção e descaso com verbas públicas frequentemente resultam na mais sofisticada impunidade. Porém, o ‘tudo acaba em pizza’, que hoje está intimamente ligado à área política, teria começado mesmo na área dos esportes.

Diz a lenda que em um certo dia houve uma calorosa discussão entre diretores do clube do Palmeiras, em São Paulo. Depois da reunião, todos, parecendo alheios à briga, foram a uma pizzaria e deixaram a confusão para trás. A explicação é dada pelo jornalista Eduardo Martins, autor do Manual de Redação do jornal O Estado de São Paulo.

No entanto, a máxima de que no Brasil ‘tudo acaba em pizza’, ironicamente, não pode ser levada em conta quando o assunto é verdadeiramente a culinária. Neste caso, a pizza é apenas ponto de partida, símbolo de uma gastronomia que oferece mais que massas e molho de tomate.

Pizza no Brasil

Não há dados oficiais sobre o número de pizzas consumidas diariamente em todo o Brasil. Mas, o que se sabe, é que brasileiro adora esta massa. Tanto que no país existe o Dia da Pizza, comemorado hoje, 10 de julho. A data foi instituída pelo então secretário de Turismo de São Paulo, Caio Luís de Carvalho, em 1985, por ocasião de um concurso estadual que elegeria as 10 melhores receitas de mussarela e margherita. Empolgado com o sucesso do evento, ele escolheu a data de seu encerramento, 10 de julho, como data oficial de comemoração do alimento.

História

Apesar de muitos acharem que este prato surgiu na Itália, a história conta que a primeira pizza apareceu há mais de seis mil anos e era apenas uma fina camada de massa, consumida por hebreus e egípcios, conhecida como ‘Pão de Abrahão’. Além disso, ela não tinha as atuais características, como massa fina, molho de tomate, queijo derretido e recheio.

Na verdade, parecia com o pão sírio atual, e era chamada de ‘piscea’, daí o nome ‘pizza’. Os italianos, milhares de anos depois, incrementaram a pizza com o tomate, e ela era consumida dobrada ao meio como se fosse um sanduíche. Na seqüência, padeiros mais criativos começaram a inovar e colocaram na pizza outros ingredientes, como o alho, o alicce e peixes da região. Por muito tempo, a massa foi vendida em padarias e barracas de rua e consumida no café da manhã.

Bem-vinda

A novidade chegou ao Brasil por intermédio dos imigrantes italianos. Por muito tempo, só houve pizzarias nos redutos e colônias italianas. Hoje, é possível encontrar casas especializadas no alimento em todos os Estados brasileiros. Os sabores dos recheios estão cada vez mais inusitados. Em Sergipe, por exemplo, é fácil encontrar pizzas regionais, que levam ingredientes como charque e coração de galinha.

Mas o importante mesmo é saborear as diferentes opções disponíveis no mercado, sejam elas doces ou salgadas. Historiadores ainda divergem sobre onde e quando a pizza nasceu, quem a batizou, qual foi sua primeira casa e em que dia ela deu o ar e o cheiro de sua graça por essas terras.

Certamente essas questões interessam mesmo aos estudiosos. Para a maior parte da humanidade, o importante é que ela, a pizza, chegue quente à mesa, com o queijo bem derretido. Se o pedido for feito por telefone, a preocupação não é com a história da pizza, mas sim com a agilidade do entregador.

Por Andreza Azevedo

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais