Acidentes envolvendo bebida crescem em Sergipe

0

Blitz para conter abusos ocorrem em lugares de grandes fluxos (Fotos: Arquivo Infonet)
De janeiro a agosto deste ano 180 motoristas foram flagrados pela polícia dirigindo com excesso de álcool na corrente sanguínea em Aracaju. Desse total, cerca de 30 respondem a um processo criminal por infringir a Lei seca. Mas na verdade na capital sergipana blitz é uma coisa rara de acontecer nos últimos tempos. Somente no último fim de semana aconteceram cinco mortes no trânsito por causa de acidentes.

Diversos comentários de leitores do Portal Infonet chegam toda a semana e denunciam algum tipo de abuso, como este que segue: “Todos os domingos pela manhã, bem cedo, em um posto de gasolina situado em frente ao Restaurante do Miguel, na Atalaia, vemos o reflexo da total negligência com a vida. São muitos jovens (rapazes/moças) bebendo e curtindo o seu som em altíssimos decibéis. Esses jovens ao saírem do posto, com certeza estarão brincando com à morte, pois a maioria estão pernoitados (sic), com motos e carros. Bastaria uma blitz logo na saída do posto para coibir tais abusos”, denuncia.

Número de acidentes entre 2009 e 2010 é de 1.399
A Lei seca entrou em vigor no dia 19 de junho de 2008. Mesmo assim nas estradas Federais sergipanas os acidentes se acumulam. De acordo com dados da Polícia Rodoviária Federal, no período entre junho de 2008 e junho de 2009 foram registrados 1.270 acidentes que envolviam bebidas nas estradas estaduais. Esse número aumentou no mesmo período, entre 2009 e 2010, para 1399 acidentes

De acordo com o comandante da Companhia de Policiamento de Trânsito (CPTran), Major Matos, periodicamente são realizadas fiscalizações em locais com grande fluxo de veículos, como shows e bares. “Nós procuramos realizar fiscalizações principalmente na orla e na Avenida Melício Machado com o auxílio da CPRV. A gente fez uma investigação dos locais principais para poder fazer uma atuação que possibilite o flagrante. Infelizmente a lei não nos permite autuar veículos parados. Por isso deve haver uma investigação preliminar para detectar as saídas dos locais onde as pessoas costumam beber e dirigir”, explica.

Segundo o Major Matos, o Cptran conta com 37 bafômetros, mas apenas 20 deles estão disponíveis para uso. “Estamos em um período complicado em razão da demanda com muitos eventos e estamos tendo ações mais voltadas para esses eventos”, revela Matos.

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais