Acusação defende representantes da PM

0

Capitão Samuel diz que processo teve como objetivo acabar com o movimento Foto:Arquivo Infonet

Em audiência realizada nesta quinta-feira, 01, no Fórum Gumercindo Bessa, onde se apura um suposto crime de motim praticado pelos representantes das Associações Militares, testemunhas de acusação afirmaram que os PMS não cometeram crime.  

O inquérito foi aberto contra o Capitão Samuel Barreto e os Sargentos Vieira e Edgar. Eles estão sendo acusados de motim por acompanharem as mulheres em uma passeata de protesto por melhores salários, quando da visita do presidente Lula a Aracaju.

Na audiência foram ouvidos como testemunhas de acusação, o Coronel Magno Silvestre e o Coronel Oliveira. De acordo com o Capitão Samuel durante o depoimento as autoridades disseram que os PMS não cometeram crime. “Tanto o Coronel Magno como o Coronel Oliveira disseram que nós não cometemos nenhum crime. Então os depoimentos só confirmaram o que nós já sabíamos que não estávamos cometendo crime nenhum. Na verdade o sistema queria parar com o movimento da associação, mas não conseguiram”, diz.

O processo continua na justiça e uma nova audiência está marcada para o dia 11 de dezembro onde será ouvido as testemunhas de defesa.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais