Acusado de estupro se entrega à polícia

0

Márcio José dos Santos estava com a aparência diferente da foto diculgada (Fotos: Portal Infonet)
Um dos acusados de homicídio, tentativa de assassinato e estupro ocorridos em Riachuelo no dia 15 deste mês entregou-se à polícia nesta terça-feira, 27, no fórum do Município. Márcio José dos Santos, 30 anos, foi apresentado pela família ao promotor da cidade porque, de acordo com a delegada Mayra Moinhos, sentiu que o cerco estava se fechando e não estava agüentando mais correr da polícia.

Mais magro, sem bigode e com o cabelo pintado de loiro, diferente da foto divulgada pela polícia, Márcio foi conduzido ao Comando de Operações Especiais (Cope) e apresentado oficialmente. A delegada disse que em uma conversa inicial, o acusado demonstrou disposição em ajudar a polícia nas investigações. Segundo ela não há dúvidas quanto à culpa dele.

Mayra Moinhos disse que o cerco continuará fixo na região
“As vítimas já os conheciam e eles são conhecidos naquela região. Isso favoreceu a fuga de ambos porque eles já estavam adaptados ao local por terem sido pescadores”, explica a delegada.

Mayra Moinhos destacou que os dois acusados são tidos como homens perigosos porque sempre andam armados. Ela comentou ainda sobre a possibilidade de o crime ter sido motivado por alguma rixa. “Há essa possibilidade, por isso vamos verificar se havia motivo específico”, adiantou a delegada.

Investigações

População foi até o local onde Márcio se entregou para protestar
A polícia já estava fechando o cerco contra os bandidos e os trabalhos de investigação contaram inclusive com o apoio do Grupamento Tático Aéreo. A população também ajudou através de denúncias sobre os locais onde eles passavam. A área de atuação da polícia compreendeu não só a cidade de Riachuelo, mas os Municípios vizinhos de Laranjeiras, Areia Branca e Divina Pastora. “O trabalho continua intensificado. O cerco será mantido fixo nessa região”, ressaltou a delegada, lembrando do comparsa de Márcio, Gicélio Monteiro dos Santos, conhecido como ‘Adelmo’, que continua foragido.

A entrega de Márcio levou diversas pessoas ao Fórum da cidade, que acabaram realizando uma manifestação pedindo Justiça. O crime chocou a população, que gritava por Márcio chamando-o de ‘assassino’ e ‘estuprador’. Mayra Moinhos continua pedindo à população que dê informações sobre o paradeiro do comparsa dele através do disque-denúncia, através do 181.

Crime

Márcio e Gicélio são acusados de matar o idoso Genésio Maximiliano Pereira, de 62 anos, de balear na cabeça o catador de caranguejo Manoel Messias e estuprar duas irmãs adolescentes no último dia 15.

Por Diógenes de Souza e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais