Acusado de matar promotor é absolvido

0

Julgamento aconteceu na cidade de Japaratuba (Fotos: Arquivo Infonet)
Um dos acusados de participação no assassinato do promotor Valdir de Freitas Dantas, enquanto fazia cooper na rodovia que dá acesso à cidade de Cedro de São João, foi levado a julgamento nesta quinta-feira, 29 na Comarca de Japaratuba. Kleber Gonçalves de Melo foi absolvido por quatro votos a um. O júri que teve início às 9h terminou pouco mais das 22h e a sentença foi proferida às 23h.

O promotor Nilzir Soares Vieira Júnior informou que a legislação mudou quanto à contagem dos votos. “Agora a sistemática é diferente. Quando atinge a maioria dos votos, a contagem é suspensa. Antes tinha que abrir até o sétimo voto. Agora não, chegou ao quarto voto com maioria, a sentença já pode ser proferida”, explica acrescentando que

Promotor Nilzir Soares
o julgamento aconteceu em Japaratuba por determinação do Superior Tribunal de Justiça.

Apesar de o crime ocorrido no dia 19 de março de 1998 ter causado grande repercussão não somente em Sergipe, mas em nível nacional, o julgamento desta quinta-feira, ocorreu de maneira tranqüila. “Correu tudo bem. Familiares do réu e da vítima, alguns populares e promotores [colegas de profissão] acompanharam o júri”, destaca Nilzir Soares.

Kleber que foi preso à época, mas respondia em liberdade, foi acusado juntamente com mais duas pessoas, que já foram julgadas.

Participaram do júri, além do Dr. Nilzir Soares, o juiz Inaldo Sauvino do Nascimento, o promotor Rogério Ferreira, o advogado de acusação Saulo Eloy e o advogado de Defesa, Joaquim Gonçalves.

Relembre

O promotor Valdir de Freitas trabalhava na comarca de Cedro de São João e fazia cooper por volta das 6h30 do dia 19 de março de 1998 na rodovia de acesso à cidade, quando dois homens chegaram em uma moto e dispararam dois tiros nas costas. Em seguida, aproximaram-se da vítima ainda viva e efetuaram mais três disparos. Os executantes o levaram para o outro lado da rodovia e o atiraram em uma área de depressão na tentativa de esconder o corpo.

Ao perceberem que a execução estava em curso, dois outros acusados, que estavam aguardando nas proximidades a fim de sinalizarem para os demais, inclusive para dar o início a execução, ordenaram ao quinto elemento que se aproximasse em seu veículo para dar fuga completa aos executores, quando embarcaram todos nos veículos, abandonando o local do crime.

Envolvidos

Segundo a Coordenadoria Geral do Ministério Público Estadual, todos os cinco agentes anteriores estavam sob as ordens de Luiz Delfino de Souza, que era prefeito e o secretário da prefeitura, Francisco Melo de Novais, que havia sido juiz substituto da Comarca de Cedro de São João e ainda exercia influência na região. Kleber Gonçalves de Melo era secretário do município e amigo íntimo dos dois outros – Delfino e Novais.

O crime teria sido motivado por conta de várias investigações deflagradas pela vítima acerca de improbidades cometidas pelo prefeito. O promotor estava ainda investigando uma ligação entre Kleber e Francisco Novais, quanto ao “desaparecimento” de um trator da Delegacia de Cedro.

Por Aldaci de Souza

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais