Adema interdita matadouro e população fecha BR

0
Adema encontra irregularidades em matadouro (Fotos: Ascom Adema)

A Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema) interditou o matadouro do município de Carira e a população, em protesto, interditou um trecho da BR 235 naquela região, segundo informações da assessoria de imprensa da Polícia Rodoviária Federal (PRF). No início da tarde desta sexta-feira, 17, conforme a assessoria da PRF, os policiais rodoviários foram mobilizados e seguiram para o local.

Durante o protesto, os manifestantes queimaram pneus na altura do km 110 da BR 235 e os policiais rodoviários federais tentaram negociar para a liberação da pista. De acordo com a assessoria de imprensa da PRF, no local não ocorreu grandes congestionamentos devido ao baixo fluxo de veículos na região.

Sem estrutura

De acordo com a assessoria de imprensa, a Adema está interditando os matadouros que não apresentam licenciamento, atendendo determinação do Ministério Público Estadual. Este é o sétimo matadouro interditado, segundo a assessoria. O matadouro de Carira foi interditado nesta sexta-feira, 17, segundo a assessoria da Administração do Meio Ambiente, devido a uma série de irregularidades.

Placa indica a interdição do estabelecimento em Carira

A assessoria informa que a Prefeitura de Carira vem sendo notificada desde o ano de 2007 e que os sucessivos gestores não adotaram as medidas para fazer os ajustes recomendados com base em legislação federal, que dispõe sobre inspeção industrial e sanitária dos produtos de origem animal. Além da falta de licenciamento para funcionamento, a Adema indica ausência de estrutura para o abate de animais naquele matadouro.

Perseguição política

O prefeito Arodoaldo Chagas (PSC) recebeu a interdição com indignação. “Estou super revoltado com esta decisão da Adema”, reagiu o prefeito. “Foi uma decisão isolada e já estamos tomando as providências jurídicas contra a interdição. O matadouro está em condições de funcionamento. Imagino que é perseguição política”, diz o prefeito, alegando que não recebeu qualquer notificação sobre a situação do matadouro.

O prefeito garante que o Ministério Público do Trabalho realizou inspeções e teria aprovado o funcionamento, ficando pendentes apenas dois itens. Para ajustar os itens pendentes, segundo o prefeito, a prefeitura dispõe de prazo de 30 dias.

Por Cássia Santana

Comentários