Caso Kathellen: piloto de lancha será punido por infrações

0
Capitão Black: procedimentos em fase final (Foto: Arquivo Portal Infonet)

O piloto da lancha que faltou combustível e ficou à deriva no rio Vaza Barris no dia 28 de abril deste ano será punido por algumas infrações identificadas pela Marinha. A embarcação ficou à deriva com um grupo de jovens a bordo e uma das moças, Kathellen Aila de Jesus, 19, que desceu da lancha acabou tragada pela correnteza do rio e morreu afogada.

As infrações detectadas pela Marinha não exerceram influência na morte da jovem, segundo concluiu a investigação policial conduzida pelo delegado Kássio Viana, do Departamento de Homicídios e Proteção à Pessoa (DHPP) da Secretaria de Estado da Segurança Pública (SSP).

Mas o piloto, embora não tenha responsabilidade penal, será responsabilizado pelo fato de não ter tido cautela para avaliar se a quantidade de combustível seria suficiente para realizar o percurso, navegando pelo rio Vaza Barris. O capitão de fragata Alessandro Black, comandante da Capitania dos Portos em Sergipe, ainda não concluiu os procedimentos administrativos instaurados e acredita que até o final do mês as punições que deverão ser aplicadas ao piloto serão definidas.

São infrações com punições previstas na Lei 9537/97, que dispõe sobre a segurança do tráfego aquaviário em águas sob jurisdição nacional. Além do erro de planejamento quanto à quantidade do combustível, a Marinha também identificou a dotação incompleta de coletes salva-vidas na embarcação e o piloto, embora habilitado, não apresentou no momento a Carteira de Habilitação de Amador (CHA).

Precauções

Estas infrações geram apenas multa, que variam entre R$ 40 a 800. O procedimento administrativo está em curso, o piloto já foi notificado e está dentro do prazo para apresentar a defesa. O comandante, advertindo que esta conclusão passa pela investigação da Polícia Civil, também entende que estas falhas não exerceram influência para a morte da jovem Kathellen Aila.

O capitão de fragata Alessandro Black revela que estas infrações se tornaram comuns, detectadas nas ações fiscalizatórias realizadas pela Marinha, principalmente nos fins de semana naquela região. Ele adverte para as precauções que os pilotos das embarcações devem ter para evitar transtornos durante os passeios aquáticos.

Conforme o capitão, antes de entrar no mar ou rio, o piloto deve verificar as condições de manutenção da embarcação, portar a CHA e, especialmente, checar a quantidade de coletes, as condições dos extintores e observar a quantidade de combustível, que deve estar compatível com o roteiro planejado.

Por Cassia Santana

Comentários