Agentes prisionais pretendem realizar paralisação de 24h

0

Ato aconteceu em frente ao Palácio de Despacho (Fotos: Portal Infonet)

Durante um café da manhã realizado por agentes prisionais nesta segunda-feira, 10, em frente ao Palácio de Despacho, a categoria decidiu que pretendem realizar uma paralisação de 24h em todos os presídios na próxima quarta-feira, 12.

O ato é para reivindicar um posicionamento do Governo do Estado quanto a isonomia salarial dos agentes, melhores condições de trabalho e realização de concurso público.

De acordo com o presidente do Sindicato dos Agentes Penitenciários de Sergipe (Sindipen), Edilson Souza, desde 2009 a categoria vem pleiteando a isonomia salarial. “Essa é uma questão que viemos lutando desde 2009, com a criação da lei 166 de 2009. O agente penitenciário mais antigo perde cerca de 50% com essa diferença de níveis, já um guarda 40% entre uma classe e outra exercendo uma mesma função e isso não pode existir”.

Estudo demais

Edilson Souza, presidente do Sindipen

Edilson Souza afirma ainda que o que há é muito estudo e pouco avanço. “O governo já mandou fazer uma análise. O governo estuda demais e não se forma, mas agora já estamos vendo que está tendo um pontapé inicial. Temos um déficit de mil homens e segurando o sistema prisional a trancos e barrancos e sem condições de trabalho”, afirma.

Caso o governo não atenda o pleito da categoria, não está descartada uma paralisação por tempo indeterminado. “Dia 12 está marcado a paralisação de um dia e se o governo não atender a categoria, a gente pode paralisar por tempo indeterminado. Desde 2009 se negocia e chega uma hora que a gente não aguenta. Não tivemos o aumento linear ano passado e esse ano ainda temos uma perda salarial”, conta.

Sejuc

Manifesto pela isonomia salarial

Reunião aconteceu no dia 6 (Foto: Sejuc)

A equipe do Portal Infonet entrou em contato com a assessoria de comunicação da Sejuc que informou que no último dia 6, ocorreu uma reunião que contou com a participação do Secretário da Justiça, Walter Pereira Lima, o diretor do Desipe, Manoel Lucio e representantes do Sindipen.

Esclareceu ainda que não pode pagar a equiparação dos cargos já que a ação já foi julgada improcedente pela PGE, mas garantiu que o novo secretário está realizando esforços para tentar auxiliar a categoria de alguma forma.

Uma nova reunião deverá ocorrer até a próxima semana para que haja um consenso quanto à reivindicação da categoria.

Por Aisla Vasconcelos

Comentários