Agentes protestam contra cortes no salário

0

O contra cheque  mostra o corte no salário do servidor
O guarda do sistema de segurança prisional Jailson Januario tomou um susto ao receber o salário referente ao mês de setembro de 2009, o pagamento teve um corte de mais de 90%. O agente que recebia um salário bruto de R$2775,53 recebeu apenas R$116,40. 

Por conta dessa situação os agentes protestaram na manhã desta quarta-feira,4, em frente a Assembléia Legislativa de Sergipe (Alese). De acordo com o Sindicato dos Agentes Penitenciários (Sindpen) o problema aconteceu porque os agentes se recusaram a trabalhar em um determinado pavilhão por alegarem falta de segurança. Com a recusa a secretaria cortou os salários.

Agentes realizaram um protesto em frente a Alese
“Alguns colegas se recusaram a entrar no pavilhão por falta de segurança, mas eles continuaram trabalhando normalmente na unidade prisional. Eram três agentes para mais de 250 detentos, essa é uma escala desumana que mostra que a Secretaria da Justiça não está preocupada com a segurança dos agentes”, afirma Alexandre Iglesias.

O presidente do Sindpen Antonio Claudio Viana destacou que os agentes têm sofrido uma sobrecarga de presos e que a falta de segurança é preocupante. “A grande demanda de presos no sistema prisional tem sobrecarregado os agentes. Queremos que a Secretaria de Justiça não cometa tantas arbitrariedades com os servidores que trabalham desprotegidos e ainda são obrigados a terem seus salários cortados”, reclama Antonio Claudio.

Em nota a Secretaria de Estado da Justiça e Cidadania (Sejuc) afirmou que os descontos efetuados pela foram ordenados quando considerada a ilegalidade da greve pelo Poder judiciário.O Sejuc ressalta ainda que ao longo da atual gestão do secretário Benedito Figueiredo foram realizadas cerca de oito greves e o secretário, nunca adotou posição mais drástica.  Leia na íntegra os esclarecimentos da Sejuc.

Por Kátia Susanna

Comentários