AMESE quer apuração de soltura de homens detidos pela RP

0
Presidente da Amese, Jorge Vieira, e o assessor jurídico, Márlio Damasceno (Fotos: Amese)

Na manhã sexta-feira, dia 6, o presidente da AMESE, Jorge Vieira, apresentou um ofício ao promotor de Justiça e Curador do Controle Externo da Atividade Policial, João Rodrigues Neto, pedindo a apuração da soltura de dois homens presos após ação dos policiais militares do Batalhão de Radiopatrulha.

No ofício, que está acompanhado de fotos e documentos, foi relatado que os militares perceberam uma caminhonete Mitsubishi, cor preta, com placa MUC-9407, em atitude suspeita, determinando que tal veículo parasse, utilizando-se inclusive a sirene e giroflex da viatura policial, com o objetivo de proceder a abordagem.

Ao perceber que iria ser abordado, o condutor da caminhonete acelerou o veículo, tentando fugir do local, quando iniciada uma perseguição. Os policiais militares escutaram disparos de arma de fogo efetuados pelos suspeitos e revidaram, tendo a perseguição se estendido até a Avenida Euclides Figueiredo, onde os infratores foram presos e encaminhados à Delegacia Plantonista, sendo entregues ao Delegado de Polícia Civil.

Carro apreendido com os dois homens

Ocorre que, horas após, os policiais militares foram surpreendidos com a liberação dos infratores, sob a alegação de que não havia subsídios para manter a prisão destes.  Em poder dos meliantes foi apreendida a caminhonete que estava com placa clonada, restrição de roubo, cinco chips e quatro aparelhos celulares.  Foi informado também, que um dos infratores estava em liberdade condicional pelo crime de assalto a banco no Estado de Pernambuco.

A AMESE aguardará e acompanhará o procedimento que deverá ser instaurado pelo Ministério Público. Durante a entrega do ofício ao Dr. João Rodrigues Neto, o Sargento Vieira estava acompanhado do assessor jurídico da associação, Márlio Damasceno.

A assessoria de comunicação da Secretaria de Segurança Pública informou ao Portal Infonet que o delegado geral, Everton Santos, está analisando relatório de justificativa emitido pelo delegado que atendeu a ocorrência, e que se for constatado o erro, o caso será encaminhado para a Corregedoria de Polícia Civil.

Com informações da Amese

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais