Amigos e intelectuais no adeus a Cabral Machado

0

Velório acontece na ASL (Foto: Portal Infonet)
Familiares, amigos e autoridades compareceram à sede da Academia Sergipana de Letras (ASL) na manhã desta quarta, 14, para dar um último adeus ao intelectual Manoel Cabral Machado, 92 anos, que faleceu na noite de terça, 13, por falência múltipla de órgãos. De lá, o corpo segue para a cidade de Capela, onde será sepultado.

Ao lado de Gumercindo Bessa, Cabral foi um dos grandes nomes do movimento intelectual sergipano do século XX, que foi influenciado por Tobias Barreto. Formou-se na Faculdade de Direito da Bahia e exerceu cargos jurídicos, sendo o primeiro presidente do Tribunal de Contas do Estado (TCE), e políticos, como secretário de Estado e deputado estadual.

Tinha incrível habilidade com as palavras. Foi jornalista do Diário de Sergipe e publicou diversas obras, entre elas ‘Brava Gente Sergipana’, uma das mais destacáveis. Seu prestígio enquanto intelectual foi reconhecido através do convite para assumir a cadeira de número 25 na ASL, onde participou ativamente dos trabalhos até a semana passada.

Luto oficial

Para o secretário de Cultura de Sergipe, Luiz Alberto, o Estado não perde apenas um grande homem das letras, mas um cidadão de peso. “Ele nunca deixou de se colocar diante dos momentos importantes de Sergipe, mesmo com a saúde debilitada. É um homem que faz falta”, reconhece.

Manoel Cabral Machado nasceu em 1916, em Rosário do Catete, mas passou a maior parte de sua infância e adolescência no município de Capela. Ele foi professor do atual governador Marcelo Déda, que declarou através de sua assessoria estar consternado com a notícia. O gestor em exercício, Ulices Andrade, decretou luto oficial.

Por Glauco Vinícius e Raquel Almeida

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais