Após greve, auditores voltam ao trabalho

0

(Foto: Arquivo Infonet)
Em greve desde 30 de junho, os auditores fiscais voltaram aos seus postos de trabalho nesta quinta-feira, 16, após um acordo feito com o secretário de Estado da Fazenda, João Andrade. Foi definida uma agenda de negociação entre a categoria e o sindicato até o início de 2010 e não haverá corte de ponto dos grevistas.

No primeiro dia de cada mês os auditores se reunirão com a cúpula da Secretaria da Fazenda (Sefaz) para avaliar a arrecadação do estado e o limite prudencial da Lei de Responsabilidade Fiscal. “Dessa forma, vamos incorporando o valor referente à produtividade como ficar melhor para ambas as partes”, disse o presidente do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco/SE), Alberto Garcez.

Prejuízo ao estado e multa ao sindicato

A categoria permaneceu 16 dias em greve justificando descaso do governo estadual para uma antiga reivindicação dos auditores: a incorporação dos ganhos de produtividade à remuneração dos profissionais. A Sefaz chegou a divulgar que o Estado deixou de arrecadar mais de R$ 5 milhões no período, entrou com pedido de ilegalidade da greve e a Justiça acatou.

A partir do sexto dia de greve, foi estipulada uma multa diária de R$ 10 mil nos primeiros dias e de R$ 30 nos três últimos. Como sábados, domingos e feriados não são levados em conta, o sindicato agora luta para não pagar o valor que beira os R$ 120 mil. “Nossa assessoria jurídica já está tomando providências. Caso a gente não consiga, o Sindifisco quebra”, conta Garcez.

Por Glauco Vinícius

Comentários