Após troca de tiros, quadrilha é presa em Itabaiana

0

Foto: SSP/SE
A madrugada desta sexta-feira, 31, foi movimentada para a Polícia Civil e para a Polícia Militar em Itabaiana, distante 56 km de Aracaju. As equipes trocaram tiros e conseguiram prender um grupo acusado de diversos crimes, como roubos e tráfico de drogas, sendo que um dos jovens é suspeito de assassinar um homem na última segunda, 27. Foram apreendidos durante a operação uma escopeta calibre 12 e dois revólveres calibre 38. A polícia apontou a quadrilha como a mais perigosa da cidade. A Operação contou com os trabalhos da Divisão de Inteligência da Polícia Civil (Dipol).

O lider da quadrilha é o desempregado Jonathas Santos, 21 anos, mais conhecido como Pinta, que foi ferido no pé durante o confronto e era o mais procurado bandido da região. Com ele estavam dois adolescentes de 17 anos, que também atiraram nos policiais. Participaram do cerco, no bairro São Cristóvão, integrantes da Delegacia Regional de Polícia Civil de Itabaiana e 3º Batalhão da Polícia Militar. A investigação para localizá-los contou com apoio da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol).

Segundo o coordenador da Regional, delegado Marcelo Hercos, além de ser suspeito de matar a tiros um homem identificado como José Roberto Alves dos Santos, o Penca, 34 anos, na última segunda-feira, 27, na periferia da cidade, o Jonathas tem mandados de prisão expedidos em seu nome por roubo e tráfico de drogas. Penca fazia parte do grupo e possivelmente foi morto por desentendimentos entre o grupo, suspeita ainda não confirmada. “Ele é suspeito de ter matado três na cidade e tinha em sua lista mais seis possíveis vítimas” 
 
A
inda de acordo com Hercos, a quadrilha aterrorizava moradores de bairros e da zona rural do município serrano há meses e estava sendo investigado por uma equipe da Polícia Civil, que aguardava o melhor momento para executar a prisão dos três integrantes numa mesma investida. Durante a ação, os infratores atiraram contra as guarnições, que prontamente revidaram e conseguiram prender o trio.

“Os infratores invadiam casas, sítios e fazendas e torturavam física e psicologicamente os seus moradores, levando dinheiro e eletrodomésticos. Eles estavam sempre armados e encapuzados e chegaram a motivar o êxodo em alguns povoados do município. Além de assaltos, os acusados também praticavam execuções de supostos inimigos”, acrescentou o delegado, que informou que a ação teve à frente o delegado Osvaldo Resende.

Fonte: SSP

Comentários