Arrombamento do Sepuma levanta suspeita

0

Dois homens arrombaram, entre a terça e a quarta-feira, a sede do Sindicato dos Servidores Públicos de Aracaju (Sepuma). O prédio fica situado na Avenida Ivo do Prado ao lado da Assembléia Legislativa. Essa foi a terceira vez que a entidade é invadida. A ações dos arrombadores é suspeita, na opinião do presidente do Sepuma, Nivaldo Fernandes.

“Não levaram as coisas de valor embora tivessem acesso. Eles tiraram o ar condicionado e entraram. No sindicato nós temos equipamentos caros. Não levaram nada do equipamento odontológico. Na minha sala tinha um fax, uma televisão portátil, uma impressora e copiadora ligada a um computador. Eles levaram 3 mil vales-gás, um rádio a pilha. Mas deixaram cerca de R$ 4.000,00 em espécie. Do salão eles levaram máquinas de cortar cabelo. Agora quando se trata de documentos levaram livro de ata, recibos, notas fiscais. Então isso está estranho. É preciso que a polícia seja ela, preventiva ou investigativa, que ponha a mão nesses arrombadores”, argumenta Nivaldo.

Segundo o presidente a cerca de 20 dias atrás dois homens se dizendo agentes federais estiveram na Prefeitura procurando por ele. Com o Sepuma havia dado férias coletivas a sede da entidade encontrava-se fechada. Assim que tomou conhecimento da situação Nivaldo disse que entro em contato com a superintendências da Polícia Federal (PF) para saber do que se tratava. A PF informou que não sabia quem eram os supostos agente.

Nivaldo afirmou que pediu providências da PF para identificar os homens que o procuraram. “Como duas pessoas chegam na Prefeitura com crachás, procurando por alguém e depois somem como éter. E peço publicamente ao superintendente da Polícia Federal que responda os questionamentos que fiz a ele. É preciso saber quem está participando disso. Se eu tivesse um pouquinho de certeza do que eu imagino eu comentava, mas infelizmente eu não tenho”, informou o presidente do Sepuma.

Fernades lembrou que existem na Capital outros sindicatos com estrutura física maior e que nem por isso foram visitado por ladrões ou arrombadores. Ele destaca que é imprescindível que se apure o fato com profundidade, ao mesmo tempo em que afirmou que não vai deixar as suas atividades, nem a luta em favor do servidor público, e que se precisar vai continuar descordando das autoridades.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais