Árvore da Energisa será montada novamente

0

Na manhã desta terça-feira, 13, a direção da Empresa Energética de Sergipe (Energisa) reuniu a imprensa para anunciar a volta da Árvore de Natal na coroa de areia entre os rios Poxim e Sergipe. A montagem da estrutura neste ano ainda era uma incógnita, já que em novembro do ano passado a queda da Árvore da Energisa provocou quatro mortes e deixou o Natal do aracajuano menos iluminado.

A Árvore da Energisa já se tornou um símbolo das festas natalinas em Sergipe. Com 110,11m de altura, o equivalente a um prédio de 40 andares, e mais de 37 mil lâmpadas, o monumento foi reconhecido pelo Guinness Book – Livro dos Recordes como a Maior Árvore de Natal Feita de Luzes do Mundo. Além disso, a potência instalada para dar vida à Árvore equivale ao fornecimento de energia para 2.820 domicílios.

Segundo o diretor-presidente da Energisa, Eduardo Alves Mantovani, este ano o monumento será ainda maior. “O tamanho é uma surpresa, mas não será nada exageradamente maior. O local onde será montada a Árvore vai ser naquela mesma região, no entanto, por conta da alagação daquele local, escolheremos um ponto seguro e só iniciaremos a montagem quando constarmos que não há risco nenhum”, garante Mantovani.

Tragédia matou quatro funcionários no ano passado (Foto: Arquivo Infonet)
Para erguer a enorme estrutura, a Energisa trabalha agora com uma nova empreiteira. “Trata-se de uma empresa do Recife, que já tem muita experiência na montagem de estruturas de grande porte. Ela já atuou no Rio Grande do Sul, na Bahia e em outros estados. Além dela, outra empresa será responsável apenas por fiscalizar o projeto e acompanhar o serviço. Estamos nos cercando de todas as formas para evitar qualquer tipo de incidente”, disse o diretor-presidente.

De acordo com a direção, a previsão para a entrega do monumento de luz é por volta do dia 28 de novembro. A expectativa é de que a árvore fique acesa até o dia 06 de janeiro, mas Mantovani diz que a possibilidade de deixá-la acesa até o Pré-Caju será avaliada pela empresa.

“Temos o aval do aracajuano”

Diretor-presidente da Energisa, Eduardo Mantovani
Para o diretor-presidente, Eduardo Alves Mantovani, “remoer o passado só machuca as pessoas”. Ele se refere à queda da Árvore da Energisa em novembro do ano passado, dois dias antes de sua estréia. Segundo Mantovani, do ponto de vista criminal foi constado que a tragédia aconteceu por uma falha no projeto da empresa sergipana contratada pela Energisa.

“O processo ainda está em curso, mas a Energisa está acompanhando de perto todos os passos. Quem está prestando o atendimento às famílias são as empreiteiras para as quais os quatro funcionários trabalhavam, e não podia ser diferente. Mas nós temos acompanhado todo o processo de forma sistemática para evitar qualquer tipo de transtorno. Sabemos que três dos quatro acordos entre as famílias e as empresas já foram fechados, restando apenas um que encontrou dificuldades”, conta o diretor-presidente.

Para ele, o monumento vai continuar sendo erguido mesmo diante de adversidades. “São 21 anos montando essa Árvore e temos muito orgulho dela. Temos que mostrar que somos grandes, no sentido de que não podemos esmorecer diante das dificuldades. Nossa vida é feita de obstáculos”, declara Mantovani. “Algumas pessoas vão criticar a montagem da árvore, mas sabemos que será a minoria. Fizemos uma pesquisa e constatamos que a grande maioria está a favor da montagem da Árvore. E é com o aval do aracajuano que vamos manter essa tradição acesa”, finaliza.

Por Helmo Goes e Glauco Vinícius

Comentários