Assessoria jurídica da Unit explica cobrança pelo estacionamento

0

Estacionamento da Unit
Em coletiva com a imprensa na tarde dessa segunda-feira, 7, o assessor jurídico da Universidade Tirandentes (Unit), Wilson Macedo, expôs os argumentos da instituição em voltar, judicialmente, a cobrar pelo estacionamento oferecido aos estudantes a partir desta terça-feira, 8.

Ele afirmou que não cabe à Prefeitura Municipal de Aracaju (PMA) legislar sobre a propriedade privada, e que, desse modo, a decisão da Câmara Municipal de Aracaju (CMA) de suspender a cobrança das taxas é inconstitucional.

 

Segundo Wilson, o custo do terreno, impostos, seguro, manutenção e pessoal, justificam os preços cobrados pelo

Wilson Macedo (à dir.)
estacionamento. “Todo esse custo tem que ser arcado com a prestação do serviço”, afirmou o assessor.

Ele argumentou e que o mandado de segurança aprovado pelo desembargador José Alves Neto suspende a liminar somente para Unit, e que a universidade deverá entrar com uma ação de ressarcimento, junto à PMA, para pagar os custos pelo tempo em que o estacionamento não foi pago.

 

O presidente do Diretório Central dos Estudantes (DCE) da Unit, Danilo Segundo, estava presente à reunião, e acompanhou de perto as declarações emitidas pela assessoria jurídica. De acordo com Danilo, a cobrança se caracteriza como um

Danilo Segundo
pedágio e várias propostas foram entregues à Unit para serem analisadas como alternativa, todas sem resposta.

“Vários ofícios foram encaminhados, mas as negociações não foram atendidas. Depois de dois meses tentando e sem respostas, fomos à Câmara Municipal”, concluiu.

Matérias relacionadas:

Estacionamento da UNIT volta a ser cobrado
Unit reage ao projeto que proíbe cobrança em estacionamento

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais