Associação de delegados quer providências contra falsa acusação

0

O caso da cabeleleira Carlanilza dos Santos Mendonça, 27 anos, que reclamou de abuso de autoridade por parte do delegado Wellington Fernandes Rogério em sua prisão repercutiu na Associação dos Delegados de Polícia Civil. De acordo com o presidente da entidade Kássio Viana, os advogados da associação já foram contatados para tomar providências contra as acusações de Carlanilza.

“Nós já estamos tomando a providência para que todas as pessoas que de alguma forma que deram manifestação falsa a respeito do assunto sejam processadas. Vamos avaliar para ver quem vai responder o processo, inclusive a imprensa que noticiou a verão da mulher como se fosse a única e verdadeira”, afirma.

Segundo Viana, os advogados da Associação já estão à disposição do delegado Wellington para que ele entre com uma ação cível e penal contra Carlanilza.

“Vamos avaliar para as coisas serem bem feitas e todas as vezes que um delegado de polícia for injustiçado, nós vamos tomar a mesma atitude. O procedimento feito pelo delegado foi o correto, ele fez o flagrante encaminhou para a justiça e o flagrante foi homologado, quem tem que questionar é o judiciário. Essa história de que ele prendeu a mulher porque não o chamaram de doutor é um absurdo inverossímil”, ressalta.

Por Bruno Antunes

Comentários