Atendimento no HU ainda está deficiente

0

A greve dos médicos residentes continua, mas as negociações já avançaram. Ontem, 13, pela manhã os representantes do HU se reuniram com os médicos residentes para estabelecer prazos ao cumprimento das reivindicações. A reforma na sala de admissão deve ser concluída no final de janeiro, e os problemas com telefones devem ser solucionados ainda esse mês.

No entanto os problemas com o centro cirúrgico ainda não foram solucionados. Das quatro salas de cirurgia, duas estão sem funcionar, e mesmo assim sem as condições ideais. “Ficou a nosso cargo também cobrar mais compromisso dos funcionários do HU que trabalham no centro cirúrgico, para cobrar o cumprimento de horários”, comentou Daniel Vieira, médico residente e um dos coordenadores da greve em Sergipe.

Hoje pela manhã os residentes foram doar sangue  no Hemose, como um ato cívico. Amanhã, 15, acontecerá a reunião nacional da greve em João Pessoa, mas talvez Sergipe fique sem representante. “Nós não temos como custear isso, e ainda não conseguimos entrar em contato com o Sindicato dos Médicos para pedir o apoio. Provavelmente não vamos conseguir a tempo”, declarou desesperançoso Daniel.

A reivindicação nacional da categoria é o aumento de 30% na bolsa de residência, que não sofre aumento desde 2001. “Os deputados da câmara federal aprovaram ontem um aumento de 90% no salário deles, e o nosso ainda está para votação. Eu acho uma baita injustiça”, declarou Daniel. Atualmente a bolsa de residência é de R$ 1.473.

Com a greve, por dia deixam de ser atendidos mais de 30 pacientes, e 80% das cirurgias de grande porte foram canceladas. A diretoria do HU foi procurada pela reportagem do Portal Infonet, mas não pôde falar.

Matérias Relacionadas

Greve dos médicos residentes paralisa atendimento do HU


 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais