Atentado completa três meses sem solução

0

Após três meses, atentado permanece sem prisões (Fotos: Portal Infonet)
Passados três meses, a população sergipana continua sem resposta para o que é considerado o maior atentado da história do Estado. Um crime em uma área nobre da capital, praticado em plena luz do dia. A quantidade de tiros, as armas utilizadas, além da ousadia dos bandidos não restam dúvida de que foi uma ação planejada. Um crime que por pouco não tirou a vida do presidente do Tribunal Regional Eleitoral, desembargador Luiz Mendonça.

Após três meses do crime, as vítimas mudaram suas rotinas. O desembargador que não ficou ferido segue com segurança da Polícia Militar durante 24 horas. O prédio onde mora é monitorado por policiais do Batalhão de Choque que ficam atentos a todo e qualquer movimento estranho na área.

Para o cabo da polícia militar que atuava como motorista do desembargador, a situação é muito pior. Internado desde o atentado, Jailton Pereira, de 41 anos, recebeu no mês passado,

O desembargador permanece com segurança 24 horas
autorização para ser transferido para a unidade do Hospital da Polícia Militar. De acordo com os médicos que acompanham o quadro clínico, apesar da grave lesão o cabo deixou o Hospital de Urgência e Emergência de Sergipe (Huse), falando e respondendo aos sinais. A expectativa dos médicos é que o cabo volte a andar após fisioterapia.

Testemunhas

A Secretaria de Segurança Pública (SSP) não confirma, mas fontes ligadas a polícia disseram que os delegados tiveram acesso a imagens e estão investigando os criminosos que metralharam o veículo do desembargador no dia 18 de agosto deste ano.

Suspeitas

O agiota Floro Calheiros é investigado pela polícia como

O cabo Jailton foi transferido do Huse
possível mandante do crime. Após quase três anos de fuga o agiota Floro permanece em local ainda desconhecido. Floro deixou um hospital em dezembro usando uma peruca e se passando por médico. Quem souber informações do paradeiro de Floro pode entrar em contato com a polícia através do disque denúncia 181.

Sigilo

De acordo com a Secretaria da Segurança Pública (SSP) a investigação segue em ritmo acelerado, mas nenhuma informação a respeito será divulgada para não atrapalhar o andamento. A informação é que delegados do Complexo de Operações Policiais Especiais (Cope), além de equipes da Divisão de Inteligência e Planejamento Policial (Dipol) estão empenhados em solucionar o crime, mas até o momento nenhuma prisão foi efetuada.

Novo atentado

No último final de semana, um assalto na casa de veraneio da irmã do desembargador, Maria José Mendonça, levantou a suspeita de um novo atentado, mas a SSP se apressou em negar qualquer relação do suposto assalto com o atentado. O fato é que parentes de Luiz Mendonça contaram que tiveram a residência, localizada na Aruana, invadida por pelo menos cinco bandidos armados com revólveres e facão.

Maria Mendonça declarou que não acredita que o assalto tenha ligação com o atentado, mas declarou que a família ficou muito assustada e que a polícia cercou toda a área em busca dos assaltantes que tomaram destino ignorado.  

O Portal Infonet vai continuar acompanhando todas as informações a respeito do crime. Para entrar em contato com a redação envie email para jornalismo@infonet.com.br ou ligue para (079) 21068000. 

 

Por Kátia Susanna

Comentários