Atentado pode levar à prisão de Floro

0

Prisão de Floro pode está perto (Fotos: Portal Infonet)
Um atentado tão brutal que foi comparado ao ataque terrorista às Torres Gêmeas, em Nova York. Foi dessa forma que o presidente do Tribunal Superior Eleitoral (TSE), Ricardo Lewandowski, se referiu ao crime que vitimou o presidente do Tribunal Regional Eleitoral de Sergipe (TRE), Luiz Mendonça. Lewandowski disse que os juízes estão desprotegidos e defendeu que sejam feitas ações para evitar que os magistrados corram mais riscos.

Desde a última quarta-feira, 18, as policias civil e militar sergipana estão mobilizadas para prender os suspeitos de terem atirado contra o carro do magistrado e ferido gravemente o policial militar Jailton Batista Pereira, de 41 anos, que servia como motorista do desembargador.


Atentado desencadeou uma caçada ao agiota Floro

Durante a única coletiva realizada após o atentado, o secretário da Secretaria da Segurança Pública de Sergipe (SSP), João Eloy, reafirmou o empenho da polícia em elucidar o caso, mas passados três dias do crime, ninguém foi preso. Apesar de a investigação ser mantida em sigilo, o nome do agiota Floro Calheiros foi levantado desde o início como um dos principais suspeitos. “Com relação ao envolvimento de Floro Calheiros estamos realizando os procedimentos cabíveis para realmente analisar esta hipótese”, disse o secretário.

 

 

 

Fuga

Desde a fuga espetacular de Floro Calheiros, quando o agiota deixou o hospital fantasiado, usando peruca se passando por médico, em dezembro de 2008, a

 
polícia sergipana vem seguindo pistas que possam levar a prisão do fugitivo.

Informações dão conta de que há equipes da polícia em Alagoas, Maranhão e São Paulo para tentar chegar a localização de Floro, que seria o principal suspeito de ter contratado pistoleiros para assassinar o desembargador Luiz Mendonça. O atentado seria uma vingança dele por conta de alguma medida praticada pelo magistrado, quando ele foi secretário de Segurança ou promotor de Justiça em Sergipe.

Em nota oficial, o secretário de Estado da Defesa Social de Alagoas, Paulo Rubim, confirmou a informação e disse que trabalha em conjunto com a SSP de Sergipe. “Inclusive, uma equipe da polícia de Sergipe está em Maceió realizando esse trabalho junto com policiais do Deic”, confirmou.

Investigação

Pistolagem, bandidos fortemente armados e pistas que apontam para o Estado vizinho de Alagoas. Uma relação que ficou mais forte após a polícia descobrir que o veículo utilizado no crime, um Honda City, teria sido furtado de uma avenida de Macéio. A polícia já sabe que veículo que foi queimado minutos após o crime, tem a mesma placa de outro carro. De acordo com informações o carro pertence ao coronel Jorge Coutinho.  

O Portal Infonet conversou com o coronel Coutinho, que preferiu não comentar sobre a clonagem das placas. Por telefone o coronel disse que adotou uma linha de não falar com a imprensa sobre o assunto. “Posso falar algo que de repente atrapalhe a investigação conduzida pela polícia”, justificou.

Na última quinta-feira, 19, quatro veículos foram apreendidos e encaminhados ao Complexo de Operações Especiais Policiais (Cope) para serem periciados. A polícia conseguiu localizar os carros que estavam abandonados em vários pontos da capital após denúncia da população através pelo disque-denúncia 181. A SSP não confirmou se existe relação dos veículos encontrados com o atentado, mas um carro Celta, supostamente com a placa clonada de um carro que seria do parente do desembargador, chamou à atenção da equipe de investigação.

Crime organizado

A equipe do Portal Infonet refez o caminho que os bandidos percorreram após o crime. Durante o trajeto fica evidente que os criminosos conheciam a região e que planejaram todos os passos. O presidente do TRE teve o veículo alvejado há cerca de um quilometro do prédio onde mora. O ponto escolhido para efetuar os disparos não possui câmeras de segurança, apesar de ser uma avenida bastante movimentada. Ao lado do semáforo onde aconteceu o crime não existe prédios e por isso, as câmeras que ficam do lado oposto podem não ter filmado a ação dos bandidos. Na avenida Beira Mar, entretanto, a câmera do Centro Integrado de Operações em Segurança Pública (Ciosp), que fica a 500 metros do local do atentado e pode ajudar na identificação dos suspeitos ou mesmo ter flagrado o momento da ação dos bandidos.

 

A informação da SSP é que as câmeras do Ciosp captam imagens ao vivo de até um quilômetro. As gravações, no entanto, podem não ser tão nítidas.

Testemunhas

Assustados os moradores do bairro Jardins, onde o Honda City utilizado no crime foi queimado, evitam falar sobre o assunto. O local utilizado pelos criminosos chama a atenção por ser uma área de poucas residências e com terrenos baldios. Porém, a rua praticamente sem movimentação fica a menos de um quilometro da residência do desembargador Luiz Mendonça.

Apesar da pouca movimentação da rua, os bandidos não contavam com pelo menos duas câmeras apontadas para o local onde o carro foi queimado. A investigação é tratada com sigilo e a polícia não confirma a existência das imagens.

O Portal Infonet vai continuar acompanhando todas as informações a respeito do crime. Para entrar em contato com a redação pode enviar email para jornalismo@infonet.com.br ou ligar para (079) 21068000. 

A Assessoria de Comunicação Social da Secretaria de Segurança Pública (SSP), informou na manhã deste domingo, 22 que a polícia não recebeu imagens da residência no local em que o veículo usado pelos bandidos foi incendiado. “Na verdade, a câmara de segurança da residência só recebe as imagens, mas não grava em banco de dados”, explica o assessor de Comunicação da SSP, Lucas Rosário. 

Por Kátia Susanna

Obs: A matéria foi alterada às 11:14 para esclarecimento da SSP.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais