Ato público reunirá assistentes sociais de todo o Estado

0
Ato marca o Dia de Luta da categoria (Foto: Divulgação)

Assistente sociais que atuam em todas as áreas do Estado e estudantes de Serviço Social vão às ruas, na quinta-feira, 03, pedir mais atenção às condições de trabalho e às políticas públicas, especialmente às políticas sociais. O ato público marca o Dia Estadual de Luta em Defesa da Profissão do Serviço Social e das Políticas Públicas e tem início às 14h no Calçadão da João Pessoa. A iniciativa é do Conselho Regional de Serviço Social 18a. Região (CRESS/SE) e do Sindicato dos Assistentes Sociais de Sergipe (Sindasse).

A programação começa às 14h com oficina de cartazes e apresentações culturais no Calçadão da João Pessoa, em frente ao Bingo Palace. Às 16h, os assistentes sociais seguem em marcha pelas ruas do centro da capital. A proposta é que a manifestação seja um momento de diálogo entre os profissionais de Serviço Social e a sociedade, em que a categoria apresente as principais reivindicações e denúncias a respeito da precariedade das condições de trabalho a que é submetida.

“Outro aspecto a ser abordado no diálogo com a população é o crescente esvaziamento das políticas sociais, especialmente as políticas públicas no âmbito estadual e da Prefeitura Municipal de Aracaju”, explica a presidente do CRESS/SE, Itanamara Guedes. Para ela, o ato servirá ainda para que a categoria cobre dos gestores estaduais e municipais mais atenção a essas políticas e aos trabalhadores do Serviço Social.

Pauta de reivindicações

Os assistentes sociais vão às ruas também para cobrar o cumprimento da Lei 12.317/2010, que regulamenta a carga horária de 30 horas semanais para a categoria. Atualmente, tanto a Prefeitura Municipal de Aracaju quanto as instituições federais, a exemplo do IFS e UFS, de diversos municípios sergipanos, desrespeitam a legislação em Sergipe.

A categoria cobra ainda a realização de concursos públicos para a área, solicita a convocação dos profissionais do Serviço Social aprovados no último concurso no Tribunal de Justiça de Sergipe (TJSE) e defende a migração dos trabalhadores assistentes sociais da Fundação Hospitalar de Sergipe para o regime de trabalho estatutário da administração direta.

Categoria unida

A presidente do CRESS/SE destaca que a natureza da atuação do serviço social é engajada na luta social. “Somos profissionais que atuam na luta pela universalização das políticas públicas e pela garantia dos Direitos Humanos, sempre na perspectiva de defesa dos valores democráticos e da superação da opressão. Portanto, nós, assistente sociais, precisamos nos entender enquanto trabalhadores assalariados e participar das lutas sociais e sindicais no nosso cotidiano”, destacou Itanamara Guedes.

Itanamara Guedes reforça a necessidade de a categoria se unificar, construir e participar do ato do Dia Estadual de Luta em Defesa da Profissão do Serviço Social e das Políticas Públicas. “Precisamos nos fortalecer enquanto categoria. Além de defender nossas bandeiras de luta, devemos contribuir com a organização do conjunto da classe trabalhadora para nos fortalecer para enfrentar este momento difícil, de avanço do conservadorismo, de desmonte da política social, de privatização e de retirada dos direitos trabalhistas”, resumiu a presidente.

Para Itanamara, unificar as bandeiras de luta com o Sindasse também é um passo muito importante no sentido de fortalecer a categoria. “Fortalecer os assistentes sociais enquanto categoria, buscando estimulá-los a exercer papel protagonista na defesa dos seus direitos, sempre foi pauta do conjunto CFESS/CRESS. O Sindasse é um parceiro estratégico de CRESS e realiza conjuntamente este grande ato. Trabalhadores e entidades precisam permanecer unidas para avançar nas lutas”, avaliou Guedes.

Fonte: Ascom Serviço Social

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais