Audiência discute acolhimento de menores

0

Audiência discutiu o horário de funcionamento dos Conselhos e abrigos que recebem os menores (Fotos: Portal Infonet)
Na manhã desta segunda-feira, 27, foi realizada uma audiência para discutir os plantões noturnos dos Conselhos Tutelares que atendem crianças vulneráveis e em situação de risco em Aracaju. Na oportunidade foi debatido que os locais de acolhimento devem respeitar o perfil de cada criança.

De acordo com a promotora do Núcleo de Apoio a Infância e Adolescência Miriam Tereza, existe uma preocupação com os plantões noturnos, assim como os locais em que as crianças e adolescentes estão sendo acolhidas. “A polícia militar mais uma vez veio ao Ministério Público solicitar informações e providências no sentido de como eles vão operacionalizar as ocorrências principalmente com criança vítima. Então ficou mais uma vez consignado que a criança que for recolhida ou acolhida no período noturno seja encaminhada para o abrigo que tenha o seu perfil, pois alguns abrigos são para crianças de idade entre zero e sete anos outros são apenas femininos, outros só masculinos, para citar algumas diferenças”, aponta.

Miriam disse que é necessário o acolhimento em abrigos que respeitem o perfil da criança
Para o representante do conselho tutelar municipal de Aracaju João Pereira Gomes, o Conselho deve funcionar além do horário que a lei estabelece. “O Conselho Tutelar segundo a lei municipal funciona de 8h às 18h e em plantão domiciliar aos sábados, domingos e feriados. Essa não é a concepção que o Conselho tem já que a Criança não tem hora para ser vitimizada. Há a necessidade de se criar atendimento além das 18 horas, pois quando uma violência ocorre depois desse horário, os familiares ficam aguardando para o dia seguinte a tomada de alguma atitude e a depender do caso, as medidas têm de ser imediatas”, informa.

Por Bruno Antunes

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais