Auditores prosseguem com paralisação

0

Em mais um dia de mobilização e luta para ter suas reivindicações atendidas, a categoria dos auditores fiscais de Sergipe reuniram-se em frente ao Palácio dos Despachos na manhã de segunda, 13. Eles querem que o valor referente à produtividade seja incorporado às remunerações.

“Essa incorporação representa um valor irrisório ao Governo do Estado já que a arrecadação só cresce mês a mês em comparação ao mesmo período do ano passado”, conta Alberto Garcez, presidente em exercício do Sindicato do Fisco de Sergipe (Sindifisco/SE).

Os fiscais estão de braços cruzados desde 30 de junho. Inicialmente a paralisação da categoria estava prevista para ocorrer apenas por seis dias, mas os profissionais decidiram dar continuidade ao movimento já que nem o governo nem a Secretaria da Fazenda (Sefaz) manifestaram interesse em dialogar com eles.

“Durante esse período procuramos o secretário João Andrade, mas como a resposta foi negativa vimos que valia a pena prosseguir com a greve”, fala Garcez. Ele revela ainda que existe a ameaça de corte de ponto dos servidores que não comparecerem aos seus locais de trabalho a partir de hoje, 13.

Sem se intimidar com a ameaça, os quase 600 auditores fiscais continuam com a mobilização e na manhã de terça, 14, estarão em frente à Assembléia Legislativa de Sergipe para buscar apoio dos parlamentares à causa que defendem. Os deputados interrompem o recesso para votar o projeto que aumenta o salário dos policiais militares e bombeiros do Estado.

Por Glauco Vinícius

Comentários