Baiano morre em confronto com policiais sergipanos na Barra

0
Polícia Civil cumpre mandado judicial na Barra dos Coqueiros (Foto: Ascom/SSP Sergipe)

A Polícia Civil de Sergipe articulou uma operação para cumprimento de mandado judicial no domingo, 16, que culminou com um confronto resultando na morte de um dos suspeitos. De acordo com informações da assessoria de imprensa da Secretaria de Estado de Segurança Pública de Sergipe (SSP/SE), o alvo da operação seria Alã Santana da Silva, 28, que teria reagido à prisão, disparando tiros contra os policiais civis sergipanos, que revidaram. Neste confronto, Alã Santana acabou alvejado e encaminhado ao Hospital de Urgência de Sergipe (Huse), onde o óbito foi constatado.

Conforme a SSP de Sergipe, os policiais tentavam cumprir mandado de prisão expedido pelo Poder Judiciário da Bahia contra Alã Santana, acusado de envolvimento com o tráfico de drogas. Segundo a SSP, Alan é integrante de uma conhecida facção criminosa instalada no Estado da Bahia. Os policiais identificaram que o acusado estava residindo na Barra dos Coqueiros há alguns meses.

De acordo com a SSP de Sergipe, a facção criminosa baiana da qual Alã Santana era integrante seria responsável por diversos homicídios, roubos e tráfico de drogas. Mesmo residindo em Sergipe, conforme a SSP, Alã exercia influência sobre a facção criminosa na Bahia. No imóvel onde ele estava morando na Barra dos Coqueiros, os policiais encontraram a arma de fogo que teria sido utilizada para reagir à prisão e também localizaram uma determinada quantidade de drogas, um veículo, um caderno com anotações, que teria relação com o tráfico de drogas, dinheiro e um documento falso, em nome de Yan David, que seria utilizado por Alã Santana.

Comandante do tráfico

Segundo a SSP de Sergipe, contra Alã havia dois mandados de prisão e ele respondia a inquéritos policiais instaurados em unidades especializadas da Polícia Civil da Bahia e também investigado pela Polícia Federal. Alã era conhecido por agir em uma região de Salvador, conhecida como Mata Escura. Ele também foi apontado como integrante do bando que aterrorizou a região na capital baiana há cerca de um ano, quando os serviços de transportes coletivo na região foram suspenso e os comerciantes fecharam os estabelecimentos comerciais devido às ameaças que traficantes vinculados a Alã fizeram após uma intervenção feita pela polícia na área.

De acordo com a SSP, em outubro de 2017, a polícia baiana entrou em confronto com Djavan de Jesus, também conhecido como “Dja”, em São Gonçalo do Retiro, onde, supostamente, Alã e Djavan também comandavam o tráfico. De acordo com a polícia, Djavan era o gerente do tráfico do Bairro de São Gonçalo do Retiro e braço direito de Alã, apontado como um dos distribuidores de drogas da capital baiana.

Com informações da SSP de Sergipe

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais