Ballet Jovem faz única apresentação na capital sergipana

0

Dentro das comemorações de inauguração do Teatro Tobias Barreto, a Companhia Vale do Rio Doce, em parceria com o Governo do Estado de Sergipe – através da Secretaria de Estado da Cultura e Turismo, traz a Aracaju, em única apresentação, o Ballet Jovem do Teatro Municipal do Rio de Janeiro. O espetáculo, que acontece nessa sexta-feira, dia 19, às 21 horas, no Teatro Tobias Barreto, tem a participação especial dos primeiros bailarinos Ana Botafogo e Marcelo Misailidis. O Ballet Jovem do Teatro Municipal do Rio de Janeiro é uma prova viva de que é possível se realizar o sonho de formar uma companhia de jovens, com o objetivo de despertar novas vocações e dar a devida importância aos talentos de nosso país. Com a rigidez e a disciplina que o ensinamento de ballet exige, jovens entre 14 e 20 anos de idade, trabalham diariamente com profissionais, desenvolvendo suas aptidões artísticas e adquirindo, com um elaborado repertório, identidade própria no contexto da dança moderna do Brasil.
<b>ANA BOTAFOGO -</b> É a primeira bailarina do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, com apresentações na Europa, América do Norte, Central e do Sul. Nasceu e foi criada no Rio de Janeiro, onde começou seus estudos de “ballet”. A sua carreira profissional teve início na França integrando o Ballet de Marseille, de Roland Petit. Na Europa, freqüentou as academias: Goubbé e Internacional de Dança Rosella Hightower, na França; e, na Inglaterra, o Dance Center. Na Suíça, Itália e Espanha participou de vários festivais representando o Brasil. Após percorrer os principais países europeus optou por continuar a sua carreira no Brasil, onde teve apresentações, em quase todos os estados.
<b>MARCELO MISAILIDIS – </b> Nasceu em Montevidéu, no Uruguai, e iniciou seus estudos no Rio de Janeiro em 1986. A partir daí, firmou grande conhecimento nos principais papéis do repertório clássico, destacando-se não somente pela técnica, como também pela qualidade em suas interpretações. Entre outros trabalhos, destacamos sua participação como solista no Bolero de Ravel de Maurice Bejart. Em 1998 protagonizou os principais <i>pas de deuxs</i> do repertório clássico, além de obras criadas por Dalal Achcar como Noites Cariocas e Floresta Amazônica. No início da década de 90, estagiou em Cuba, e ganhou notoriedade nacional no concurso de Joinville. No ano seguinte, ao se apresentar junto às principais bailarinas brasileiras, tornou-se rapidamente um dos bailarinos de maior evidência no cenário da dança nacional e isto lhe valeu o convite para integrar ao Corpo de Baile do Teatro Municipal do Rio de Janeiro, como primeiro bailarino. Ele tornara-se então o mais jovem primeiro bailarino da história do Teatro Municipal do Rio de Janeiro.

Comentários