Barragem do Poxim pode ser usada para estudos

0

Comissão discute uso da barragem (Foto: Deso)
Usar a Barragem do Poxim para a realização de estudos nas mais diversas áreas. Essa proposta foi discutida nesta quinta-feira, 25, pelo secretário estadual do Meio Ambiente, Genival Nunes, o presidente da Deso, Max Montalvão, e o comandante da Polícia Militar, coronel Pedroso. “Quando estiver cheia, a barragem se transformará em um novo sistema, que pode e deve ser usado como estudo pelas universidades, órgãos ambientais, Organizações Não-Governamentais e o Pelotão Ambiental da Polícia Militar”, afirma Genival Nunes.  

Após a reunião, o secretário do Meio Ambiente informou que vai convidar todos os segmentos interessados para discutir as formas de utilização daquela área para a realização de pesquisas e estudos diversos. “Achamos muito importante que se use a Barragem do Poxim – construída com o objetivo principal de reservar água para o abastecimento humano -, para a realização dos mais variados estudos. Não é todo dia que se depara com um ecossistema em seu nascedouro”, explica Genival. Segundo ele, quando estiver cheio, o lago da barragem oferecerá uma gama de informações sobre o meio ambiente. 

O presidente Max Montalvão ficou muito satisfeito com a reunião. Segundo ele, a estrutura física do canteiro de obras poderá funcionar como base para as instituições interessadas em atuar na área da barragem. “Além do enorme lago, serão plantadas ali cerca de 40 mil mudas de árvores nativas. Biólogos, engenheiros e ambientalistas de uma maneira geral poderão tirar proveito desse ecossistema que está sendo criado, para o desenvolvimento das mais diversas pesquisas. O pessoal do Pelotão Ambiental da Polícia também terá um papel importante na discussão dessa proposta”, revela Montalvão. 

Barragem pronta 

A obra física da Barra do Poxim está praticamente concluída. Foi iniciado agora o desmatamento monitorado da área que será inundada. Esse trabalho deverá demorar cerca de seis meses. Com acompanhamento do Ibama, foram implantadas rotas de fuga para os animais silvestres. Profissionais como biólogos, engenheiros ambientais, agrônomos, civis e veterinários estão envolvidos na operação. Do desmatamento, feito por empresa especializada, resultarão 6,2 mil metros cúbicos de madeira, em forma de toras de variados espessuras. Este material será vendido em leilão público, conforme manda a legislação.   

Para se ter uma idéia do tamanho da Barragem do Poxim, quando estiver cheio, seu lago armazenará 35 milhões de metros cúbicos de água, numa profundidade média de 25 metros. A área ocupada é de 522 hectares, a extensão do lago é de 1.125 metros e o vertedouro possui 11,8 metros de largura. A previsão da Deso é que em maio de 2011, o lago comece a receber água com as chuvas do próximo inverno. Localizada em São Cristovão, a barragem está a um quilômetro da BR-101 , e chega-se a ela por uma estrada que está sendo asfaltada.

Fonte: Deso

Comentários