Barris de óleo podem ter sido colocados na costa sergipana

0
Barris foram localizados na praia da Barra dos Coqueiros e na Praia Formosa em Aracaju (Fotos: Adema)

Os dois barris de óleos encontrados no litoral sergipano foram recolhidos por equipes da Petrobras. De acordo com a Administração Estadual do Meio Ambiente (Adema), amostras da substância oleosa foram coletadas e o material será enviado ainda nesta quinta-feira, 26, para um laboratório no Rio de Janeiro. A suspeita inicial é que os barris não tenham sido trazidos pelo mar e sim colocados por terra.

Limpeza da área sendo feita pelas equipes da Petrobras (Foto: Adema)

“Esses dois barris foram identificados ontem (25) em nosso litoral e acreditávamos que tinham sido recolhidos, mas não foram. Hoje, assim que soubemos da permanência deles, equipes da Marinha, Ibama e Adema estiveram na Barra dos Coqueiros e na Praia Formosa, em Aracaju, e equipes da Petrobras recolheram os barris. O que parece é que os barris não foram trazidos pelo mar, porque mesmo que estivesse a dois ou três dias na água, eles apresentariam algumas características e eles não apresentam, então pode ser que eles tenham sido colocados lá, mas só as perícias e análises vão confirmar essa suspeita”, afirma Gilvan Dias, presidente da Adema.

Outra situação observada pelas equipes, é que os barris foram abertos por alguém de forma criminosa. “É muito claro que alguém abriu os barris, não sei se por curiosidade, por maldade, mas é um ato criminoso, porque como é que alguém se depara com um barril, não sabe o que tem dentro e abre? Mas, tudo está sendo apurado, os autores, a origem da substância e se há relação entre o material que recolhemos no barril e o encontrado em nossa costa”, diz Gilvan.

Assim que os barris foram recolhidos, foi feito um procedimento de raspagem na área, que é a retirada da parte poluída. Gilvan explica que a atuação das equipes da Petrobras na limpeza das áreas afetadas é um procedimento de praxe. “A ajuda da Petrobras é definida por instrução normativa, como é uma grande empresa na área de petróleo, qualquer incidência, mesmo não tendo sido causada por eles, a empresa ajuda na limpeza”, explica.

Em outubro, as entidades estaduais de meio ambiente irão se reunir para tratar desse derramamento de óleo. A reunião extraordinária foi convocada pela Associação Brasileira das Entidades Estaduais de Meio Ambiente.

Por Karla Pinheiro

Comentários