Bomba da Deso queima e deixa comunidade de Lagarto sem água

0
Comunidade sem água ocupa sede da Deso em Lagarto (Foto enviada por internauta)

Uma bomba do sistema de abastecimento da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso) queimou e provocou o desabastecimento de água em algumas comunidades na zona rural do município de Lagarto. Informações que circularam em redes sociais e grupos de WhatsApp indicam que mais de oito povoados teriam sido afetados, mas a Deso garante que o problema só atingiu o povoado Jenipapo, conforme observações do diretor operacional Carlos Anderson Pedreira.

Técnicos da Deso reinstalam equipamento e concluem o serviço no final da manhã (Foto: ASN)

De acordo com o diretor operacional, a bomba apresentou problemas na quarta-feira da semana passada, 22, mas só chegou ao conhecimento da equipe técnica no dia seguinte. O problema não pode ser resolvido em Sergipe e o equipamento foi transportado para o estado da Bahia, onde foi feito o reparo e a bomba foi reinstalada no final da manhã desta terça-feira, 28.

Apesar dos reparos no equipamento, a comunidade afetada ainda enfrenta dificuldades com o abastecimento. Mas a expectativa é que a situação fique normalizada completamente até a manhã da quarta-feira, 29. A bomba afetada é de grande vazão, o que comprometeu algo em torno 60% ou mesmo 70% da oferta de água, segundo cálculos do diretor de operações da Deso. Durante este período, o abastecimento na região foi possível apenas por meio de uma bomba, de baixa vazão, que não conseguiu atender toda a demanda, conforme o diretor de operações Carlos Anderson.

Um outro problema também afetou a comunidade da cidade de Lagarto nesta semana. De acordo com o diretor operacional, a cor da água que chegou à torneira dos reservatórios dos clientes não estava no padrão de qualidade do produto ofertado pela Deso. Esse problema, segundo Carlos Anderson, também foi corrigido.

Manifestação

Nesta terça-feira, 28, moradores dos povoados afetados pela interrupção do abastecimento de água ocuparam a sede da Deso em Lagarto e fizeram uma manifestação, cobrando agilidade para regularizar a oferta da água na região. O diretor de operações da Deso classificou como legítima a manifestação e assegurou que a Companhia não deixou de buscar a solução para regularizar a oferta da água.

A assessoria de imprensa da Prefeitura de Lagarto informou que a comunidade afetada foi atendida por meio de carros-pipa enviados pelo município às localidades que ficaram sem água nesse período.

por Cassia Santana

Comentários