Briga entre taxista e agente da SMTT acaba na 2ª DM

0

Taxistas foram até a 2ª DM para apoiar o colega (Fotos: Portal Infonet)

Um desentendimento entre um agente da Secretaria Municipal de Transportes e Trânsito (SMTT) e um motorista do transporte clandestino acabou em confusão na manhã desta quarta-feira, 22. A Polícia Militar foi acionada e os envolvidos foram levados à 2ª Delegacia Metropolitana.

Carisvaldo Santos, presidente da Associação das Cooperativas dos Táxis Alternativos, explica que o fato ocorreu entre as ruas Capela e São Cristóvão, local que funciona como estacionamento para os táxis. De acordo com ele, o taxista José Alves de jesus estava com seu carro estacionado quando percebeu a aproximação do agente da SMTT, que logo depois, utilizou o rádio de comunicação.

“O taxista viu essa ação do agente e foi questioná-lo porque achou que ele estivesse chamando o guincho. Imediatamente, o agente retrucou de forma agressiva e começou a agredir o taxista verbalmente”, detalha. “Como ele já um senhor de idade e possui problemas de saúde, os outros taxistas foram cuidar dele”, completa.

Carisvaldo Santos, presidente da Associação das Cooperativas dos Táxis Alternativos

Na visão de Carisvaldo, os agentes agem de forma despreparada. “O despreparo dos agentes foge do controle. Eles não sabem abordar os taxistas e agem de uma forma que intimida os passageiros e os motoristas dos táxis clandestinos”, avalia.

Com a confusão, a Polícia Militar foi acionada e os envolvidos foram encaminhados à 2ª Delegacia Metropolitana. Para apoiar o colega envolvido e protestar pela atuação do agente, um grupo formado por taxistas do transporte clandestino também compareceu ao local.

SMTT

A informação do diretor de comunicação da SMTT, Flávio Vasconcelos, é de que o agente trabalhava quando um cidadão, de forma inesperada, colocou o dedo na cara dele e começou a xingá-lo, dizendo que o seu carro havia sido autuado.  O mesmo cidadão também teria empurrado o agente.

Ainda de acordo com a SMTT, o rapaz desceu da moto e com a aproximação de muitas pessoas, o agente ficou acuado e colocou a moto na calçada, utilizando-a como forma de escuto. 

Por Verlane Estácio 

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais