SE: Caatinga tem 18% das espécies ameaçadas de extinção, aponta IBGE

0
Dentre as espécies avaliadas considerando fauna e flora, 2.015 ocorrem no bioma Caatinga, afirma IBGE. (Foto: Arquivo Agência Brasil)

A segunda publicação da edição de Contas de Ecossistemas, linha editorial inaugurada em setembro deste ano, realizada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística  (IBGE), mostrou que, em Sergipe, cerca de 18% da fauna e flora da caatinga estão ameaçadas de extinção. Dentre as espécies avaliadas, mais de 2.000 casos de ameaça ocorrem na Caatinga, bioma mais presente no estado de Sergipe.

Na fauna, segundo o IBGE, o número total de espécies ameaçadas de extinção foi de 366 (por volta de 18% do total avaliado). Cerca de 7% de casos que ocorrem na Caatinga são categorizados como Dados Insuficientes, aproximadamente 4% como Quase Ameaçados e em média 71% das espécies do bioma estão na categoria Menos Preocupante.

Na flora, os dados divulgados apontam que a Caatinga apresenta mais de 30% de suas espécies ameaçadas pela extinção. Entre as espécies avaliadas da flora, de um total de 712, 692 ocorrem no bioma Caatinga de forma terrestre. A Caatinga apresenta uma alta proporção de espécies ameaçadas nesse ambiente (231 espécies, cerca de 33%). Há ainda 43 espécies na categoria Quase Ameaçada e 39 na categoria Dados Insuficientes. As demais 379 espécies (cerca de 55%) estão na categoria Menos Preocupante. 

No ambiente marinho, as aves batuíra-bicuda e maçarico-rasteirinho estão ameaçados de extinção. Para a Caatinga foram avaliadas 38 espécies que ocorrem no ambiente marinho, sendo duas delas ameaçadas de extinção – as aves batuíra-bicuda e maçarico-rasteirinho. Há ainda uma espécie na categoria Dados Insuficientes. As demais 35 espécies (cerca de 92%) estão na categoria Menos Preocupante.

A pesquisa também mostra que a Mata Atlântica, situada em áreas litorâneas, foi o bioma com mais espécies ameaçadas, tanto em números absolutos (1.989) como proporcionalmente (25,0%). O estudo aponta que as perdas na quantidade de área de cobertura natural ao longo dos séculos se dá devido a maior presença de ambientes antropizados, ou seja, onde houve ação humana, por conta do histórico de ocupação e urbanização, a partir do litoral, na formação do território brasileiro.

Pesquisa de Ecossistemas

Para saber mais sobre os resultados da pesquisa divulgada pelo IBGE, números de espécies, por categoria de ameaça, desagregados para os diferentes biomas brasileiros e tipos de ambiente (terrestre, água doce e marinho), incluindo o estado de Sergipe e outros estados do Brasil, clique aqui.

Com informações do IBGE

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais