Cadeirante reclama de acesso em condomínio

0

Cadeirante precisa de ajuda para passar pelos quebra-molas (Fotos: Portal Infonet)
Morador desesperado pede ajuda para se locomover dentro de um condomínio no bairro Luzia. Carlos Antônio Batto de Barros Nascimento, 43 anos, que hoje usa uma cadeira de rodas para se deslocar de um lugar para outro, entrou em contato com a redação do Portal Infonet para relatar os problemas que vem enfrentando dentro do residencial.

“Sou portador de poliomielite e tenho problemas neurológicos graves, mas após um acidente aqui dentro com outra moradora, passei a usar cadeira de rodas”, explica o homem.

Segundo Carlos as poucas rampas que existem dentro do condomínio são irregulares e representam riscos não só para os que possuem deficiência, como também para outros moradores. “Elas são muito inclinadas, então quando tento subir na calçada, se não tiver alguém atrás segurando a cadeira vira. Elas não possuem uma cor diferenciada para que os pedestres prestem a tenção e não acabem caído”, reclama.

Morador diz que as rampas são muito inclinadas
Outro problema encontrado pelo morador é a distância das portarias dos prédios para as rampas de acesso. “As rampas deveriam ficar em frente às entradas dos prédios, no entanto, são distantes e ainda por cima é uma para cada dois prédios”, explica Carlos. Os quebra-molas, segundo ele, são altos e também dificultam a circulação com a cadeira.

O cadeirante ainda ressaltou que pela manhã bem cedo fica impossibilitado de passar pelas garagens. “Pelo quebra-mola não passo, mas quando os carros estão nos lugares fico completamente ilhado, precisando da ajuda dos funcionários. Essa semana tive que ligar cinco horas da manhã para um morador tirar o carro porque precisava ir ao médico”, relatou Carlos.

Carlos diz que fica ilhado dentro do condomínio
O morador explicou que entrou em contato com a síndica do condomínio, identificada como Márcia, mas não teve as suas necessidades atendidas. Diante da negativa por parte da representante do condomínio o morador revelou que acionou Ministério público e ainda na tarde desta quarta-feira, 22, ele deve receber a visita de uma das promotoras, no sentido de sanar os problemas enfrentados.

A Equipe do Portal Infonet tentou contato com a síndica do condomínio, mas foi informada pelo encarregado que a mesma não se encontrava e de que não tinha autorização para passar o número do telefone dela.

Por Alcione Martins e Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais