Caixa d”água: laudo aponta que corrosão causou a queda

0
Laudo da Criminalística aponta que corrosão causou queda da caixa d'água (Foto: PM)

O Instituto de Criminalística finalizou o laudo técnico que confirma as causas do desabamento da caixa d’água em uma escola situada no povoado Campo Grande, em Nossa Senhora das Dores, em novembro do ano passado. O relatório confirma que a corrosão em boa parte da caixa e no ‘pé’ da estrutura provocaram o incidente.

O diretor do instituto, Nestor Barros, contou que o documento aponta erros na elaboração e execução do projeto, na montagem da estrutura e na sua manutenção. “Fizeram consertos provisórios, soldaram uma placa por fora da caixa d’água, mas o serviço não foi bem feito. Isso facilitou uma corrosão mais rápida. A oxidação é progressiva, não tem como estagnar”, detalhou.

Além disso, foram detectados também problemas na base, com erros na fixação no solo com parafusos. “Há uma norma que determina o diâmetro do orifício que o parafuso vai passar. Ele estabelece qual o máximo de sobra, para não ficar folgado. De acordo com os peritos, estavam fora da norma, sem as ‘ruelas’”.

O delegado do município, Marcos Garcia, está concluindo o inquérito policial. Por enquanto, ainda são ouvidos funcionários da Companhia de Saneamento de Sergipe (Deso). O laudo só chegara às mãos do delegado na próxima segunda-feira, 5. “Temos mais de 50 depoimentos. Vamos identificar os responsáveis pelo crime e vamos puní-los individualmente”, garantiu. “Desde o início a gente já tinha essa informação, o laudo só confirma o que detectamos de início. Até para um leigo era fácil identificar a negligência. A estrutura ainda estava totalmente corroída por falta de fiscalização e manutenção”.

Deso

Por meio de nota, a Deso garantiu que promove uma sindicância interna para apurar os pormenores do acidente, elaborando um estudo pericial para apontar as causas. Alegou, também, que “no curso da sindicância, foi constatado que o reservatório recebeu toda a manutenção preventiva e corretiva, bem como sempre envidou esforços para garantir a segurança das imediações do reservatório, em especial da escola”.

A Deso destaca que não há como precisar o que ocasionou o desabamento e garantiu que tão logo seja concluída a perícia, os resultados serão trazidos à sociedade.

Sobre o laudo da Criminalística, limitou-se a dizer que o teor é desconhecido e que somente comentarão após a disponibilização do documento. O órgão finalizou a manifestação assegurando que continuará prestando assistência às vítimas e às famílias dos envolvidos no acidente, e que “não descansará até que as causas sejam devidamente conhecidas”.

Relembre

A tragédia ocorreu no dia 6 de novembro do ano passado, na Escola Municipal Professor Osman dos Santos Oliveira. A queda da caixa d’água deixou 18 pessoas feridas e matou duas crianças.

Por Victor Siqueira

Comentários