Caminhoneiro confessa à Polícia Federal tráfico e contrabando

0

PF apreendeu mercadorias sem recolhimento de impostos (Foto: Policia Federal)
Um operação da Polícia Federal (PF) resultou na apreensão de 3kg de entorpecentes, mercadorias contrabandeadas e uma prisão no município de Tobias Barreto no último final de semana. Em coletiva realizada na tarde desta segunda-feira, 11, o delegado regional do crime organizado, Marcos Custódio, informou que os produtos tiveram origem em São Paulo com destino à Itabaiana, a 58 km de Aracaju.

“Após uma denúncia, acionamos uma equipe da PF para o local em que estava o caminhão. Lá abordamos o motorista e depois de um tempo ele confessou que transportava as drogas”, explica o delegado. Segundo o depoimento do motorista detido em flagrante, Gilson Vieira dos Santos, 37, o verdadeiro proprietário do caminhão nem sequer sabia do ocorrido.

Tráfico

Ainda de acordo com o depoimento do motorista, o caminhão possuía uma marca muito conhecida e isso pode ter sido feito para despistar qualquer suspeita de tráfico. Gilson ainda confessou que o dono da empresa não sabe da ocorrência. “Ele contou que recebeu as mercadorias em São Paulo e quando chegasse em Itabaiana receberia uma ligação da pessoa que iria receber os produtos”, explica o delegado Custódio.

Ele explica que as drogas estavam escondidas entre outras mercadorias de origem lícita, como tecidos, por exemplo. “Foram dois quilos de crack e um quilo de cocaína. Além disso, encontramos outros produtos como

Delegado Custódio continua as investigações (Fotos: Portal Infonet)
brinquedos, celulares e notebooks sem o devido recolhimento de impostos”, relata.

Medidas

O delegado Custódio afirma que esta foi a segunda vez que o motorista Gilson se envolve com um crime delito desta natureza. “Apesar disso, ele tem contribuído com as investigações. Ele já foi encaminhado a um estabelecimento penal e foi autuado por contrabando descaminho, podendo pegar de um a quatro anos de prisão”, esclarece.

 

O motorista também poderá responder por tráfico de entorpecentes com reclusão de cinco a 15 anos e por tráfico interestadual, com um sexto a dois terços de prisão.

Caminhão onde as mercadorias foram encontradas
“Nós já estamos em processo de investigação na tentativa de saber quem foi o verdadeiro mandante desse crime e realizar as medidas punitivas cabíveis”, conclui o delegado.

 

 

 

 

 

Por Victor Hugo e Kátia Susanna

Comentários