Cantora sergipana acusa Funcap de crime de transfobia institucional

0
Isis Broken denuncia a Funcap por crime de transfobia (Foto: Leandro Martins)

A artista sergipana Isis Broken registrou queixa-crime na manhã desta quinta-feira, 26, no Departamento de Atendimento a Grupo Vulneráveis (DAGV) em desfavor da Fundação de Cultura e Arte Aperipê de Sergipe (Funcap/SE). A artista denuncia crime de transfobia institucionalizada.

De acordo com a artista, a Funcap adotou uma atitude transfóbica durante a divulgação oficial do resultado da lista de selecionados e excedentes dos editais lançados referentes à Lei Aldir Blanc, explicitando, publicamente, o nome de batismo de Isis. “ Eu pedi para a Funcap retificar  e colocar meu nome social, mas eles não fizeram isso. Fiz uma carta pública e quando tinha 100 assinaturas eu publiquei. A Funcap divulgou uma nota de esclarecimento se referindo a mim com meu nome de batismo e com artigos masculinos”, conta.

A artista entende que as seguidas publicações do seu nome de batismo e a manutenção da publicação ofende, invisibiliza e desconhece a real identidade da cantora. “Uma humilhação e assim como eu, muitos ficaram sem acreditar que instituição de cultura age dessa maneira preconceituosa. Ao contrário do que a Funcap divulga,  eu coloquei meu nome social e era esse que deveria ser divulgado”, afirma.

A artista esteve na manhã desta quinta-feira, 26, na DAGV registrando a queixa-crime (Foto: Felipe Martins)

O ativista social Leandro Martins, da Rede Nacional de Operadores de Segurança Pública LGBTIA+(Renosp) acompanhou a cantora e disse que o sentimento é de revolta já que o respeito ao nome social de trans e travesti já é um entendimento consolidado pelo Supremo Tribunal Federal (STF).

“Quando um órgão público, que deveria dar exemplo, desrespeita em um edital o nome social de uma pessoa trans, e reitera esse desrespeito com a nota pública para milhares de pessoas, expondo nome de batismo de uma travesti, isso causa muita revolta. É muito necessário que a gente demonstre a solidariedade, não só a Ísis, como também a tantas outras mulheres trans e travestis que sofrem violência diariamente”, ressalta.

Isis explica que a queixa-crime foi registrada, que o procedimento será encaminhado para o Ministério Público Estadual e um inquérito policial instaurado para apurar a denuncia.

Funcap

A Funcap divulgou nota lamentando o ocorrido e reiterou seu compromisso com os artistas sergipanos e a transparência de suas ações. “Lamentamos os transtornos ocorridos com o desencontro de informações. Com isso, apresentamos nosso pedido de desculpas a artista Isis Broken e a toda comunidade LGBTQIA+ pelos acontecimentos. Jamais foi nossa intenção desrespeitar qualquer finalista do Edital. O nome da artista foi publicado no Diário Oficial do Estado (DOE) e retificado no Site da Funcap, no Mapa Cultural de Sergipe e nas redes sociais”, diz a nota.

A Funcap Informa que os nomes divulgados na lista de selecionadas (os) e excedentes, são nomes cadastrados pelos agentes culturais no perfil da plataforma mapas.se.gov.br, na hora da inscrição e são gerados pelo sistema.  “Para que essa situação não mais aconteça, de forma respeitosa, solicitamos que todas as pessoas cadastradas no Mapa atualizem seu nome artístico / nome social de acordo com o desejo de divulgação, tendo em vista que o sistema só vai identificar o que está na descrição do perfil”, finaliza a nota.

Por Karla Pinheiro

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais