Carlos Britto vai decidir sobre células-tronco

0

Está nas mãos do ministro Carlos Britto, para julgamento, uma das matérias mais polêmicas atualmente em exame no Supremo Tribunal Federal (STF). Trata-se da liberação das pesquisas com células-troncos embrionárias. O assunto já recebeu a opinião contrária do ex-Procurador Geral da República, o católico fervoroso Cláudio Fonteles, que entrou com uma ação de inconstitucionalidade no STF contra a Lei de Biosegurança que permite as tais pesquisas, o que agradou plenamente a igreja católica que é radicalmente contrária.

 

Aliás, como sempre, a Cúria Romana está sempre a reboque da evolução da ciência. Basta lembrar o episódio ocorrido no passado com o sábio Galileu, que quase vai para a fogueira por provar e querer defender que a terra girava em torno do sol. Teve que repudiar sua teoria, senão seria morto pela santa inquisição. Já Giordano Bruno, que não abjurou suas teses científicas, foi queimado. 400 anos depois a igreja católica pediu desculpas pelo seu erro e “reabilitou” Galileu.

 

É evidente que o ministro Carlos Britto está ouvindo todos aqueles especialistas e interessados no assunto e, nesse sentido, já realizou uma audiência pública, aliás, a primeira a ser convocada pelo STF em toda sua história. Estudioso e cuidadoso nos votos que assina, o dr. Carlos Britto a essa altura já domina o tema com profundidade, tanto nos seus aspectos científicos como éticos, devendo brevemente colocar seu relatório para o julgamento dos demais ministros.

 

Sem dúvida, do ponto de vista da ciência, será a decisão judicial de 2008. Espera-se um julgamento secular, progressista, distante dos conservadores cânones religiosos. Milhões de brasileiros que dependem do desenvolvimento dessas pesquisas aguardam com ansiedade.

 

Por Ivan Valença

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais