Cartão de crédito é campeão de queixas

0

Muitas coisas surgiram para facilitar a vida moderna. Uma delas foi o cartão de crédito, que facilita e muito, mas traz muita dor de cabeça. Segundo a Associação dos Direitos Financeiros do Consumidor (Proconsumer), as queixas contra as taxas de juros do cartão vêm crescendo cerca de 15% ao mês. O problema está na cobrança de taxas de juros que vai crescendo a cada mês. As administradoras estão cobrando valores muito acima dos que o banco cobra para fazer o empréstimo para as mesmas; as empresas estão cobrando juros em cima de juros. O cliente pode recorrer à Justiça para ser ressarcido. A seguir, dicas da Associação dos Direitos Financeiros do Consumidor sobre o que fazer: enviar uma carta ou telegrama para as companhias administradoras, solicitando cópia dos financiamentos firmados em seu nome, com aviso de recebimento por parte da empresa. O objetivo é descobrir a taxa de juros que o banco cobrou da empresa ao realizar o empréstimo; as empresas costumam recusar a emissão desses documentos. A solução é tentar obter essas informações por intermédio da Justiça; o consumidor deve procurar uma associação de defesa do consumidor, que o orientará a impetrar uma ação na Justiça que exija a prestação de contas por parte da companhia. O trâmite judicial demora, em média, dois anos; na maioria dos casos, a Justiça tem dado parecer favorável ao consumidor. Os clientes têm recebido a diferença entre a dívida acumulada em função da alta taxa de juros que o cartão cobra do cliente e a taxa de juros que o banco cobra da administradora do cartão e que deveria ser repassada ao consumidor; o consumidor pode procurar também o Juizado de Pequenas Causas de sua cidade, que costuma resolver o problema.

 

Comentários