Caso Sabrina: delegado fala sobre investigações

0

O delegado de Tobias Barreto, Cleones dos Santos, disse na manhã desta segunda-feira, 13, em entrevista à Ilha FM, que não tem dúvida sobre quem atirou na adolescente Sabrina Pinheiro, 16 anos, durante operação policial, na noite de 5 de junho.

“Não há dificuldade para identificar quem atirou”, informou. De acordo com ele, o inquérito policial foi encerrado no 5º dia após o crime. “No dia 10 (de junho) ouvi as últimas pessoas”, completou. Cleones dos Santos disse que aguardou o 30º dia (prazo final para a conclusão do inquérito) para receber o resultado da perícia que, até hoje, não chegou.

Na opinião do delegado, não houve alteração da cena do crime. Para ele, a retirada do veículo do local onde Sabrina morreu aconteceu para que não houvesse um outro incidente envolvendo policiais e a população.

“Por infelicidade, essa é a melhor palavra para a operação policial, aconteceu o fato que chocou a população e, naquele momento, a permanência de um policial nosso guardando o veículo, seria algo inseguro e perigoso, por conta de toda a comoção dos moradores. Para evitar que o policial machucasse alguém ou as pessoas machucassem o policial, o carro foi recolhido para o pátio da delegacia”, justificou o delegado durante entrevista ao Jornal da Ilha.

Cleones dos Santos explicou que mesmo que houvesse problemas na perícia em virtude do recolhimento do veículo para o pátio, não há nenhuma dificuldade de identificar o autor dos disparos. Na operação, participaram quatro policiais militares, sendo um lotado no posto da Secretaria da Fazenda, e os outros três da companhia da PM de Tobias Barreto.

“Já existem provas suficientes sobre a autoria do disparo, que partiu de um policial. A perícia terá a finalidade de corroborar ou não com as demais provas encontradas”, informou o responsável pelo inquérito, que garante que o crime não ficará impune. “Não pode e não ficará impune. Os responsáveis serão encaminhados para a Justiça. Temos prova documental, testemunhal e, se tudo falhar, poderemos até fazer a reconstituição do crime”, disse.

Fonte: Empauta Comunicação

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais