Cavernas de Sergipe potencializam turismo no Estado

0
Capacitação para guias em Espeleoturismo foi iniciado nesta segunda-feira, 10 (fotos Ascom/Semarh)

Uma janela para um mundo totalmente novo e desconhecido, atrelada à conscientização ambiental, desponta a possibilidade de  às Cavernas de Sergipe somarem-se ao potencial turístico do Estado. Buscando esse foco, foi iniciada na manhã desta segunda-feira, 10, a primeira Capacitação em Espeleoturismo para Guias e Condutores de Espeleoturismo. Ofertado pelo Instituto Ambiental Brasil Sustentável, (IABS), o curso também conta com o apoio do Governo do Estado através da Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh).

O curso está sendo realizado no município de Laranjeiras e acumula o número de 46 participantes oriundos da Bahia, Alagoas e de Sergipe.  É uma ação emergencial apontada pelo Plano de Ação Nacional Cavernas do São Francisco (PAN Cavernas), em virtude do elevado número de cavernas abertas à visitação e a baixa qualidade na experiência turística verificadas nestas cavidades.

Segundo a superintendente de Biodiversidade e Florestas da Semarh, Valdineide Santana, a iniciativa do IABS é muito bem vinda para o Estado pelo intercâmbio entre Estados participantes da capacitação, e, sobretudo, por vir a valorizar o potencial espeleológico do Estado.

De acordo com a coordenadora do Núcleo de Turismo do IABS, Marcela Pimenta, o Curso de Capacitação em Espeleoturismo para Guias e Condutores de Espeleoturismo irá contemplar o Alto, Médio e o Baixo São Francisco. Na região do Baixo São Francisco, pela reunião de cavernas, a região escolhida foi a de Laranjeiras. Destaca que no Alto São Francisco, o curso ocorreu em Ouro Velho/MG, faltando apena socorrer no Médio São Francisco.

A coordenadora explica que considerando as ameaças que envolvem a bacia, a exemplo de mineração, turismo, ocupação  urbana, obras de engenharia, vandalismo entre outras práticas, o PAN Cavernas do Baixo São Francisco identificou a necessidade de conscientização e capacitação dos monitores e condutores espeleológicos acerca do tema.

“Como algumas cavernas inseridas na região da bacia do Alto, Médio e Baixo São Francisco recebem um fluxo considerável de visitantes, esta iniciativa inédita busca levar aos profissionais que trabalham em cavernas a capacitação inicial necessária para melhoria da experiência turística”, explica Marcela Pimenta.

Curso

Com instrutores de São Paulo, Brasília e do Centro Nacional de Pesquisas em Cavernas (CECAV), o curso será realizado em 3 módulos totalizando 120 horas cada.  No módulo iniciado nesta segunda-feira, os participantes irão tratar sobre Meio Ambiente, Cultura e Espeleologia. No segundo módulo, sobre Pronto Socorro e Resgate, encerrando o terceiro módulo com o tema Cultura.

Em Sergipe, somente no município de Laranjeiras, foi localizado o numero de 60 cavernas. “Ainda há outras a serem descobertas, além das 16 que são frequentadas por espeleologos e visitantes”, afirmou  o presidente da ONG Centro da Terra, Elias José da Silva, destacando que  a caverna  de maior visitação no município de Laranjeiras é a Gruta da Pedra Furada.

Além do Instituto Brasileiro de Desenvolvimento e Sustentabilidade- IABS e Centro Nacional de Pesquisa e Conservação de Cavernas – CECAV do ICMBio, o curso conta com o apoio da  Secretaria de Estado do Meio Ambiente e dos Recursos Hídricos (Semarh), da Prefeitura Municipal de Laranjeiras, do Grupo de Espeleologia Centro da Terra, Comitê de Bacia Hidrográfica do Rio São Francisco, Governo do Estado de Alagoas, Sebrae Alagoas, PAPL, APL Caminhos do São Francisco e Prefeitura Municipal de Campo Formoso(BA).

O projeto conta com apoio financeiro do Fundo Brasileiro de Conservação – Funbio/Edital TFCA 004/2012. As inscrições para o curso foram realizadas até o dia 30 de janeiro. Para mais informações escreva para espeleoturismo@iabs.org.br.

Da solenidade de abertura, além da superintendente de Biodiversidade e Florestas da Semarh, participaram os secretários de Cultura, Turismo e Meio Ambiente do município de Laranjeiras.

Fonte: Semarh

Comentários