Ceasa reduz horário de funcionamento e suspende feira livre

0
Ceasa de Aracaju (Foto: Fernando Augusto/Cohidro)

O Governo de Sergipe, através da Companhia de Desenvolvimento de Recursos Hídricos e irrigação de Sergipe – Cohidro, estabeleceu medidas restritivas de prevenção e enfrentamento à pandemia do coronavírus para a Central de Abastecimento do Estado de Sergipe – Ceasa, em Aracaju. O horário de funcionamento, que era das 5h às 18h, foi reduzido e agora passa a funcionar das 5h30 às 13h30. As medidas seguem orientações da Prefeitura de Aracaju e de portaria da Cohidro, que também determinaram a intensificação da limpeza, a realização de campanha educativa junto aos usuários e a suspensão temporária da feira livre interna.

A Cohidro exerce a função de fiscalizar e regularizar a execução do contrato de concessão do espaço da Ceasa para a Associação dos Usuários da Ceasa de Aracaju (Assuceaju). O grupo assumiu a administração do mercado quando o antigo órgão estadual foi extinto, nos anos de 1990. A associação continuou ocupando as mesmas instalações do prédio, que hoje é patrimônio da Cohidro. De acordo com o presidente da Cohidro, Paulo Sobral, a central de abastecimento se enquadra como mercado municipal e por isso, deve atender às determinações da Prefeitura de Aracaju expressas no Decreto Municipal 6.101/2020, que restringe o horário de funcionamento e determina as ações preventivas ao contágio ao novo vírus.

“A Ceasa exerce atividade essencial, pois abastece pequenos negócios que comercializam gêneros alimentícios, e até as feiras livres que ainda estão autorizadas a funcionar no interior do estado. Nos reunimos com a diretoria da Assuceaju para explicar a importância das medidas para reduzir o risco de contágio ao coronavírus, e as determinações foram bem-recebidas pela diretoria da associação. Seguindo o decreto municipal, tivemos também que suspender a feira livre promovida semanalmente no pátio do estabelecimento, onde os feirantes que não possuem bancas comercializavam para a comunidade do bairro Getúlio Vargas e adjacências”, destacou Paulo Sobral.

Na Portaria 24/2020, publicada no Diário Oficial de Sergipe nesta sexta-feira (27), a Cohidro determina que as bancas deverão funcionar a dois metros de distância uma das outras e os funcionários deverão usar equipamentos de proteção individual (EPI), como máscaras e luvas, além do álcool em gel 70%, item que também deverá estar acessível aos clientes e visitantes em cada banca de comercialização, e também na portaria. O documento estipula, ainda, para a associação, a realização de campanhas educativas, com conversas e comunicados aos associados sobre as medidas de prevenção à COVID-19, através do sistema de som interno e outras ações complementares, a fim de promover os cuidados básicos para evitar a disseminação e a contaminação durante a pandemia.

O gerente administrativo na Ceasa de Aracaju, Dorgival Targino, explica que as ações de prevenção já haviam sido iniciadas junto aos clientes e funcionários, e que buscarão alternativas para atender a todos os itens listados. “Já estávamos distribuindo luvas descartáveis e, dentro do possível, estamos atendendo as determinações. Diante das dificuldades para encontrar os produtos, hoje só estamos fornecendo máscaras e luvas para os nossos funcionários e para os clientes, além do álcool 70% líquido. Desde já, gostaríamos de fornecer todos os itens, mais ainda não temos condições”. Sobre a campanha educativa, ele informa que “estamos veiculando orientações através do som interno da Ceasa e complementando com as informações passadas pelos médicos através da TV”, concluiu.

 

Fonte: Cohidro

Comentários