Cenam: seis internos continuam foragidos

0

Na manhã desta segunda-feira,26, o clima era de tranquilidade na unidade
Os seis internos que fugiram no último sábado, 24, do Centro de Atendimento ao Menor (CENAM) ainda não foram localizados. De acordo com o vice-presidente dos agentes de segurança, Carlos Alberto Santos Mello, os seis internos da ala-1 atacaram três agentes de segurança com barras de ferro. Os adolescentes fugiram através de uma guarita. Carlos Alberto disse ainda que a fuga pode ter ocorrido devido a falta de preparo dos vigilantes que estão monitorando o sistema de segurança da unidade.

“Nessa última fuga os internos tiveram menos de 12 segundos para sair da unidade. Foi uma ação rápida e o vigilante que estava no monitoramento das câmeras de segurança não percebeu. Infelizmente isso não é culpa dos vigilantes, porque eles trabalham 12 horas monitorando duas telas com 50 câmeras de segurança”, explica o vice-presidente do sindicato dos agentes.

O presidente da Fundação Renascer Foto: Arquivo Infonet
Carlos Alberto Santos Mello ressalta que é preciso diminuir a carga horária do trabalho dos vigilantes e que a fundação deve investir em capacitação para os novos agentes de segurança. “Se não houver uma intervenção do Estado com relação à capacitação dos agentes mais fugas vão ocorrer e agentes serão feridos. Alguns agentes estão desempenhando a função sem ter noção de segurança. As famílias estão preocupadas com a segurança dos agentes que vão trabalhar e não sabem se voltam”, reivindica.

O presidente da Fundação Renascer Gicelmo Albuquerque rebateu as acusações e disse que a fundação está fazendo treinamento dos agentes que começaram a exercer a função desde janeiro desse ano. Segundo Gicelmo, muitos não têm comparecido aos cursos e não utilizam os equipamentos de segurança.  “Na última quarta-feira [21] entreguei vários equipamentos de segurança, mas os agentes não usam e isso é ruim porque eles continuam arriscando a propria segurança. No dia primeiro de outubro pedi ao sindicato que me enviasse uma relação de material que eles precisam, mas até o momento não foi enviado nada”, diz Gicelmo.

Gicelmo Albuquerque diz ainda que tem realizado capacitações, mas que alguns agentes desistem das aulas. “No mês de janeiro foi feito um treinamento para a nova turma de agentes. Voltamos a realizar um curso no mês de setembro, mas em uma turma de 20 apenas dois concluíram porque o restante desistiu. No mês de novembro vamos realizar mais um curso, então os investimentos estão sendo feitos”, ressalta o presidente da Renascer. 

Por Kátia Susanna

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais