Centro de Apreensão já viabilizou a adoção de 95 equinos em 2021

0
95 equinos foram adotados neste ano em Aracaju. (Foto: Felipe Goettenauer)

De 1º de janeiro a 30 de abril deste ano, a Prefeitura de Aracaju, por intermédio da Empresa Municipal de Serviços Urbanos (Emsurb), registrou o acolhimento de 395 animais de médio e grande porte no Centro de Apreensão, localizado no bairro 18 do Forte. Desses, seguiram para adoção 95 equinos, após solicitações avaliadas e autorizadas pela Diretoria de Espaços Públicos e Abastecimento (Direpa).

O processo de adoção que envolve os animais recolhidos das vias públicas e não resgatados pelos seus responsáveis, dentro do prazo de 15 dias, se dá a partir do cumprimento de alguns critérios. A pessoa interessada deve encaminhar a reivindicação ao Setor de Protocolo da Emsurb, instalado na entrada principal do Parque Augusto Franco (Sementeira), acompanhada de cópia do comprovante de residência e dos documentos de Identidade e CPF.

“Como a adoção do animal é concedida apenas para moradores residentes em outras cidades do estado, solicitamos a cópia do comprovante de residência. É que, há alguns anos, após resgatados através deste processo por moradores da capital, alguns animais voltaram a vagar pelas ruas e, mais uma vez, foram conduzidos ao Centro de Apreensão”, explica o diretor de Espaços Públicos, Bira Rabelo.

O diretor avalia que as adoções direcionadas ao interior do Estado, geralmente à área rural, reduzem os riscos dos animais sofrerem ou causarem acidentes, além de possibilitar que recebam tratamento adequado, tendo em vista o interesse e o compromisso dos solicitantes.

MIzael Santos reforça a fala do diretor. Ele e a família possuem um sítio nas proximidades da cidade de Itaporanga D’ajuda, município localizado há 31 quilômetros da capital, onde já criam galinha, cachorro e gato. No entanto, Mizael ainda não tinha o tão sonhado cavalo.

“A gente estava sem condições financeiras para adquirir esse tipo de animal, e com o serviço disponibilizado pela Prefeitura de Aracaju, em dezembro passado, trouxemos o “Tião” pra ficar aqui, sendo cuidado pela nossa família e nos ajudando no trabalho do sítio”, disse.

A agente de endemias Kimberly Silnara Bispo saiu de Santa Rosa de Lima para a Aracaju (cerca de 40 km) com um único objetivo: dar entrada no pedido de adoção de um dos animais do Centro de Apreensão. “Fiquei sabendo por amigos que animais abandonados nas ruas de Aracaju, inclusive alguns bem debilitados, eram recolhidos e cuidados pela Prefeitura e que, em seguida, poderiam ser entregues por meio de adoção a pessoas de outras cidades. Eu sempre tive vontade de ter um animal para colocar no meu terreno, mas não tinha condição de comprar. Então, fui até a sede da Emsurb e depois ao Centro de Apreensão. Com tudo comprovado e acertado, consegui o animal, um cavalo castanho. Fiquei muito feliz!”, disse Kimberley.

De acordo com o coordenador do serviço, Isael Freitas, mais conhecido por Brinquinho, cerca de 150 pessoas de vários pontos do interior sergipano aguardam a oportunidade de adotar um dos animais acolhidos pela Prefeitura. No entanto, ressaltou ele, os animais só podem ser liberados após vencimento do prazo de resgate ou ainda quando recuperados das situações de maus tratos em que foram encontrados. Brinquinho destacou ainda que, na sede do centro, os animais apreendidos passam por avaliação do veterinário e recebem alimentação adequada.

Fonte: Ascom Emsurb

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais