Chinês: exportação de barbatana era ilegal

0

Fotos da vítima na Habilitação (esquerda) e na carteira de trabalho (a direita) (Fotos:Portal Infonet)
Na manhã dessa quarta-feira,24, representantes do Instituto Brasileiro do Meio Ambiente e do Recursos Renováveis (Ibama) estiveram na sede da Delegacia de Homicídio e Propteção a Pessoa (DHPP), para avaliar a carga de barbatana de tubarão encontrada dentro da residência do Chinês assassinado na Atalaia Nova, já identificado como Lou K Chiang.

Exportação

De acordo com o fiscal do Ibama, Horácio Noronha Neto, a atividade desenvolvida pela vítima era ilegal. “ A exportação de barbatana é ilegal, até porque quando essa parte é retirada do animal, ele morre imediatamente. Infelizmente esses produtos são vendidos em dólar, em países como Japão e China, e deles são

Carga de barbatana foi encontrada na casa de Lou (Fotos:Portal Infonet)
feitos sopas, produtos afrodisíacos, entre outros”, explica.

Horácio também pontuou que em Sergipe, esse tipo de atividade nunca havia sido registrada. “Não existia a prática dessa atividade aqui e até agora o que a gente tomou conhecimento foi que a polícia encontrou essa carga na casa da vítima”, pontua Horácio.

Investigação

Segundo o delegado que investiga o caso, Robério Santiago, essa será uma das linhas de investigação. “Não podemos descartar nada, porque até onde temos conhecimento essa atividade envolvia muito

Fiscal do Ibama explica a situação da carga ao coordenador da DHPP
dinheiro, mas outros pontos também serão levados em consideração”, ressalta.

Robério Santiago comentou ainda que durante a perícia realizada no local de crime, a polícia constatou que não houve roubo. “Nada foi levado, inclusive essa carga foi encontrada lá, além de carro e objetos. Através da perícia foi detectado que a casa não tinha nenhum sinal de arrombamento, o que indica que a pessoa que entrou era conhecida ou foi convidada a entrar”, relata.

De acordo com o delegado, a perícia ainda constatou que houve uma luta corporal antes da briga. “A maneira que ele foi assassinado já indica essa luta, pois houve um estrangulamento e diversas perfuração, além da

Barbatanas são vendidas em dolar
bagunça encontrada na cena do crime”, revela Robério.

B.O.

Santiago ainda relatou que após uma verificação junto a Delegacia da área, a polícia identificou alguns Boletins de Ocorrências (BO) registrados pela vítima. “ Ele havia registrado alguns boletins, relatando  problemas com pessoas da localidade, algumas brigas. Tudo está sendo apurado e investigado”, finaliza.

Alcione Martins e Raquel Almeida

Comentários