Código de Conduta Ética no Turismo é lançado em Aracaju

0

O Código de Conduta Ética no Turismo será lançado hoje, 16, no Quality Hotel a partir das 20h. O intuito do material é prevenir uma atuação mais intensa contra a exploração do turismo sexual. Ele será adotado pelos setores ligados diretamente ao turismo, como bares, restaurantes e pousadas, onde o estabelecimento que firmar parceria com o comitê de monitoramento estará encarregado de observar, checar e repelir toda e qualquer manifestação de apologia ou facilitação do turismo
sexual.

 

Em Sergipe, a coordenadora do Projeto Libertar e a presidente do Comitê de Monitoramento do Código, Simone Valadares, ressalta a importância desse principio ético, especialmente diante do crescente desenvolvimento do turismo no Estado, com características próprias.

“Sergipe é o terceiro estado do Nordeste a elaborar o código, ficando atrás do Ceará e Rio Grande do Norte, apresentando um diferencial: os estados aqui citados implantaram o código depois que começou a ocorrer a explosão do turismo sexual, classificando-os como rota do sexo. Sergipe  sai na frente, tendo em vista que essa obscura projeção no turismo é quase  inexistente no estado”, declara a coordenadora.

Simone Valadares acredita que o código é um instrumento de sensibilização para que os comerciantes não incentivem nem permitam o turismo sexual, instruindo também seus clientes a não praticarem. Também serão disponibilizados adesivos que reconhecerão o estabelecimento como parceiro no combate ao turismo sexual.

Fazem parte do Comitê de Monitoramento além da Secretaria de Turismo, as Secretarias do Combate à Pobreza, Segurança Pública, Sindetur, Abrasel, Abih, Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Funcaju, Faculdade de  Sergipe e Conselho Tutelar.

Fórum

Amanhã, 17, o Código e os  primeiros trabalhos do Comitê serão debatidos amplamente no I Fórum Estadual da Ética no Turismo, com início marcado para às 8h se estendendo  até 17h, no Hotel Quality. Dessa importante reunião, farão palestras a coordenadora do projeto Libertar, o médico Walter Marcelo e a presidente  do Conselho Estadual dos Direitos da Criança e do Adolescente, Josevanda Franco.

Comentários

Nós usamos cookies para melhorar a sua experiência em nosso portal. Ao clicar em concordar, você estará de acordo com o uso conforme descrito em nossa Política de Privacidade. Concordar Leia mais